Você está em: Início / Tag / Jovem Adulto


One

por • 5765 Acessos

One

Minha Classificação:
One goodreads
de
Publicação: em 2015
Gênero:
ISBN: 9780062118752
Páginas: 400
Nível do idioma: Fácil
Lançamento no Brasil: Sem Previsão
Lojas confiáveis para comprar livros:
saraivaculturaamazonbookdepositorybwbkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Tippi e Grace são gêmeas siamesas* ligadas pela cintura e estão se preparando para ir à escola pela primeira vez já no ensino médio pois até então tinham sido educadas em casa. O medo do bullying e a forte conexão entre elas são temas presentes neste livro jovem adulto narrado em verso diferente de outros que eu li.

“Você está brincando?
Você é normal.
E normal é bom.
Normal é meu objetivo.”

Grace é quem narra a história e com isso foi a personagem que conheci melhor, embora tenha acabado gostando mais de Tippi. Grace é muito certinha, já Tippi é rebelde e quer viver a vida intensamente. O resto da família delas também aparece muito, assim como os amigos e crushes das meninas. Todos os personagens são bem diferentes o que trouxe uma diversidade muito grande.

A autora escolheu ter protagonistas diferentes, mas não as fez chatas que passam o tempo inteiro reclamando sobre o quão difícil é viver assim e nem ficou forçando o drama tipo “ai elas são siamesas* coitadinhas”, pelo contrário, o livro mostra que Tippi e Grace são adolescentes como quaisquer outras. Elas são felizes como são e na maioria dos dias não trocariam o que tem para serem mais “normais”. No entanto a vida, sempre ela, traz a história pro lado mais dramático, mas isso perto do final quando você já se apegou bastante aos personagens e pode sentir 732 sentimentos diferentes enquanto lê.

Outras partes que não trazem sentimentos felizes são as que mostram como as pessoas reagem ao ver Tippi e Grace chegando nos lugares, como é o bullying na escola e como as pessoas podem ser cruéis com quem é diferente. O pior de tudo é saber que isso é baseado em relatos reais pois a autora fez muita pesquisa na hora de escrever o livro e detalhou tudo nas “notas do autor” nas últimas páginas.

“Não é engraçado o que preocupa as pessoas
quando elas vivem suas vidas
sem dificuldade?”

Como eu disse lá no começo do post, One traz também uma narrativa fora do comum, a história das gêmeas é contada em forma de verso. Eu só tinha lido um livro narrado assim antes, o esquecível I Heart You, You Haunt Me, e não foi uma experiência muito boa, mas a Sarah Crossan conseguiu trazer uma história completa e repleta de sentimentos. Arrisco inclusive a dizer que não teria me causado o mesmo impacto se tivesse sido escrito em prosa. Esse não é o único livro dela escrito desta forma e com certeza os outros já estão na minha (infinita) lista de futuras leituras.

*Eu não sei se existe um termo mais politicamente correto para chamar gêmeas siamesas, até procurei mas não encontrei. Em inglês mudou de siamese twins para conjoined twins por isso surgiu a dúvida. Se alguém souber, por favor me avisa.

        
Resenhas de Livros
0
comentário

O Caderninho de Desafios de Dash & Lily – Dash & Lily 1

por • 6578 Acessos

    Livros da série Dash & Lily:

  1. O Caderninho de Desafios de Dash e Lily
  2. The Twelve Days of Dash and Lily
O Caderninho de Desafios de Dash & Lily (Dash & Lily, #1)

Minha Classificação:
O Caderninho de Desafios de Dash & Lily (Dash & Lily, #1) goodreads
de
Publicação: em 2016
Gênero:
ISBN: 9788501105158
Título Original: Dash & Lily's Book of Dares
Páginas: 256
Tradução: Regiane Winarski
Lojas confiáveis para comprar livros:
saraivaculturasubmarinoamazon
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Alguns dias antes do natal Dash está em sua livraria favorita na seção de seu autor favorito quando avista um moleskine vermelho no meio dos livros. Ao abrir o caderninho ele encontra uma série de instruções deixadas por Lily como uma caça ao tesouro. Após cumprir todas as missões, ele acaba retribuindo a brincadeira e deixando pistas para ela também. Dessa forma os dois adolescentes que não se conheciam vão acabar sendo a companhia um do outro durante as festas de fim de ano.

“A família, assim como o arsênico, funciona melhor em pequenas doses… a não ser que você prefira morrer.” Dash

Já falei em muitos outros posts que amo a escrita do David Levithan, até agora ele e a Rachel Cohn já escreveram outros dois livros juntos que foram publicados e adaptados para o cinema (Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música e Naomy & Eli e a Lista do Não Beijo). Eu tenho O Caderninho de Desafios de Dash & Lily em inglês há anos, mas só resolvi realmente ler agora que foi lançado em português e infelizmente vou contar para você que para mim não rolou. Esse é o primeiro livro de uma (até então) duologia, mas só pretendo ler o próximo se pegar o primeiro capítulo e estiver bem diferente do que foi o volume um.

A história é interessante(zinha), se passa no natal (amo natal) e mesmo se fosse de outros autores teria me chamado a atenção, mas apesar da premissa ter me deixado curiosa, teve mais pontos negativos que positivos. Os personagens foram criados de forma muito superficial, após terminar de ler o livro ainda não sei quem são e tudo o que sei sobre eles é que um ama natal e o outro odeia e tudo por causa de situações familiares. Precisava de bem mais para eu realmente chegar a conhecê-los né? Dessa forma ficou bem difícil me importar com qualquer coisa que poderia ou não acontecer com eles. Os personagens secundários também tiveram pouco destaque porque tinha muitos deles para pouco espaço. O desenvolvimento da história não foge muito do clichê caindo em situações que já vimos em outras 29301803189 outras histórias. Realmente uma decepção especialmente vindo de uma dupla que escreveu outros livros que amo. Esse livro foi tão errado que destaquei mais frases da Rachel Cohn que do Levithan.

Dentre os pontos positivos destaco, hum, pera tô pensando, o natal? Nova Iorque? Ah ok no final aparecem uns cachorros também. Mas falando sério, foi legal que a história tenha se passado bastante numa livraria e não posso negar que me diverti vendo o Dash falando mal do Nicholas Sparks para a a Lily. E de bom foi basicamente isso.

Apesar de considerar este o pior livro que li este ano (fala sério se não dá uma tristeza ter que falar isso do seu autor favorito?) não perco a fé no meu querido Levithan e nem na dupla que ele forma com a Rachel Cohn. Torço pelo momento em que eles darão a volta por cima e lançarão um livro que eu ame mais que Nick & Norah. Fica aí o desafio para o universo.

        
Resenhas de Livros
0
comentário

Simon vs. a Agenda Homo Sapiens

por • 8078 Acessos

Simon vs. a Agenda Homo Sapiens

Minha Classificação:
Simon vs. a Agenda Homo Sapiens goodreads
de
Publicação: em 2016
Gêneros: ,
ISBN: 9788580578928
Título Original: Simon vs. the Homo Sapiens Agenda
Páginas: 272
Tradução: Regiane Winarski
Lojas confiáveis para comprar livros:
saraivaculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Simon usa uma “identidade secreta” para trocar e-mails com Blue, que também é um codinome para manter o anonimato, há algum tempo. Os dois estudam na mesma escola de ensino médio e são gays embora só tenham confiado essa revelação um ao outro. Apesar de tanto mistério com seus verdadeiros nomes, Simon acaba esquecendo o e-mail falso aberto na biblioteca da escola o que dá a Martin a chance de usar esse segredo como moeda de troca e começa a chantagear o menino para conseguir um encontro com sua amiga Abbi. Simon agora deve decidir se cede a chantagem ou se assume logo sua orientação sexual para o mundo.

“Um hétero que mal me conhece está me aconselhando a sair do armário. Sou praticamente obrigado a revirar os olhos.”

Esse ano nenhum livro tinha me prendido, então me dediquei mais a filmes e séries, até que no horizonte surge Simon, esse livro bacana, maroto, despretensioso que me chamou a atenção pelo título desde o lançamento americano, e eu acabei me divertindo tanto, que cheguei até o fim sem sentir vontade de largar. O livro tem romance, mistério, emoção, comédia, tudo o que eu poderia querer na vida em um único lugar. O que me conquistou logo no começo foi o humor na narrativa, Simon vs. a Agenda Homo Sapiens conseguiu trazer uma mensagem bacana e necessária de forma simples e ainda fazendo rir.

“Tentar não pensar em uma coisa é como brincar daquele jogo de martelar a toupeira. Cada vez que você bate em uma, outra surge na superfície.”

O livro começa logo com um monte de personagens, porque Simon tem um monte de amigos e familiares, então não conseguia me lembrar quem era quem, mas no decorrer da história consegui me situar melhor no que estava acontecendo e aproveitar mais a história sem me perder. O suspense sobre quem é Blue é bem construído e o Simon não ignora o óbvio porque sempre que começamos a desconfiar de alguém ele logo desconfia também. Confesso que não aguentei esperar e fui logo pro final antes de começar a shippar um casal que não tinha nada a ver.

“O que sinto por ele é feito um batimento cardíaco, suave e persistente, por baixo de tudo.”

Demorei para terminar um livro esse ano e não me decepcionei, sendo a princípio um livro único, o final ficou resolvido, mas eu já acabei de ler morrendo de saudade dos personagens. Espero ler outras coisas da Becky Albertalli e torço para ter a sorte de ler mais livros que me deixem apaixonada esse ano.

        
Resenhas de Livros
0
comentário
Estante Lotada © 2010-2017 Layout: design e programação por Cibele Ramos

    
Nos mudamos de www.euleioeuconto.com para www.estantelotada.com.br, por favor atualize seus feeds & links!