Você está em: Início / Tag / J K Rowling

Strike: The Silkworm

Por 5690 Acessos

Para conferir a resenha do livro "O Bicho-da-Seda – Cormoran Strike 2", clique aqui.

Strike: The Silkworm

Minha Classificação:
Strike: The Silkworm - 2017 The Movie DB
Status: 2 temporadas (renovada)
Episódios vistos: 5
Elenco: Tom Burke, Holliday Grainger, Dorothy Atkinson, Monica Dolan, Kerr Logan, Dominic Mafham
Gênero: Crime, Drama, Mistério
Canal Original: BBC One, HBO
Duração do Episódio: 60 minutos

Strike: The Silkworm é a adaptação televisiva do livro O Bicho-da-Seda, segundo da série Cormoran Strike escrita por J. K. Rowling sob pseudônimo de Robert Galbraith feita pela BBC One. Cormoran Strike e Robin Ellacott dessa vez investigam o desaparecimento de um famoso e excêntrico escritor chamado Owen Quine. Quando esse desaparecimento se transforma em assassinato brutal, Cormoran e Robin se deparam com mais um caso complicado e cheio de reviravoltas.

Talvez esse post contenha apenas gifs desses dois lindos

A segunda parte de Strike conseguiu manter o ótimo nível da primeira, mesmo tendo um episódio a menos para explorar o assassinato de Owen Quine. O roteiro continua extremamente fiel ao livro, com a mesma linha do tempo e a mesma escolha impecável de elenco: Holliday e Tom dão mais um show de interpretação como Robin e Cormoran, dessa vez explorando mais ainda a afinidade que os personagens criaram, além de terem uma dinâmica muito interessante em cena. A pequena passagem de tempo entre a primeira parte e essa é posta ao espectador de uma forma sutil, em que subentende-se o que aconteceu ali sem necessidade de muita explicação por parte dos personagens em si, e sempre gosto dessas sutilezas de roteiro. Também existe um certo aprofundamento no passado de Cormoran e Charlotte (que na primeira parte da série era claro apenas para que havia lido os livros) e no presente da relação amorosa de Robin com Matthew (Kerr Logan), que aliás consegue ser tão nojento/chato/insuportável quanto nos livros, portanto parabéns ao ator por estar realizando um ótimo trabalho – já te odeio.

Aqui nessa segunda parte temos um caso não menos complexo que o primeiro e igualmente aterrorizante, onde os personagens secundários conseguem ganhar profundidade em pouquíssimo tempo, graças a forma pela qual a história foi contada – que, mais uma vez, nada deve ao livro, até porque é idêntica. Sinto que J. K. Rowling olhou com bastante atenção esse projeto, já que pouquíssimos elementos diferem dos livros tanto na primeira como na segunda parte de Strike e não poderia estar mais grata a ela e aos outros produtores da série. A essência de O Bicho-da-Seda está toda ali e me perguntei até se, por ser uma produção da BBC One, eles não mostrariam explicitamente a bizarrice que foi o assassinato de Quine, porém mostraram e a maquiagem e caracterização tanto de cenários como de personagens ficou ótima – aliás, esqueci de mencionar no post passado que a computação gráfica da perna faltante do Cormoran está muitíssimo bem feita. 

Eu disse!!!!! (Me deixem shippar por favor)

Gostei muito da solução que os produtores e diretores encontraram para falar sobre o Bombyx Mori, manuscrito que Owen Quine deixou antes de ser assassinado. A ideia de um romance policial que envolve um livro tão bizarro quanto Bombyx só poderia ter vindo de uma mente brilhante como a de J. K. (beijos, amiga!), e em O Bicho-da-Seda, esse tem um papel importantíssimo, já que se crê que seja o motivo pelo qual Owen foi assassinado – além de claro, ele ter sido morto exatamente da maneira que o herói de seu livro o foi. No decorrer do livro, temos várias partes integrais do texto de Bombyx Mori e na série as passagens são encenadas pelos atores em seus papéis bizarros dentro do livro, como se fossem imaginadas pelos personagens da série enquanto leem ou citam Bombyx – a expressão do Cormoran lendo o livro é muito hilária. Há a recorrência de figurino da primeira parte da série, o que achei ótimo porque dá maior verossimilhança a linha de tempo e também à realidade financeira e de vida mesmo dos personagens (olha a atenção aos detalhes aqui de novo). O final foi idêntico ao do livro, e confesso que vibrei muito ao ver essa cena sendo retratada na televisão tanto quanto vibrei quando a li. Infelizmente Strike: Career of Evil, a terceira parte da série baseada no terceiro livro de Cormoran Strike, só será exibida ano que vem e sei que já estou sentindo saudades de Robin e Cormoran; espero sinceramente que o quarto livro, Lethal White, seja publicado até lá para que os fãs não fiquem tanto tempo sem esses dois.

Strike: The Cuckoo’s Calling

Por 4993 Acessos

Para conferir a resenha do livro "O Chamado do Cuco – Cormoran Strike 1", clique aqui.

Strike: The Cuckoo’s Calling

Minha Classificação:
Strike: The Cuckoo's Calling - 2017 The Movie DB
Status: 2 temporadas (renovada)
Episódios vistos: 3
Elenco: Tom Burke, Holliday Grainger, Dorothy Atkinson, Monica Dolan, Kerr Logan, Dominic Mafham
Gênero: Crime, Drama, Mistério
Canal Original: BBC One, HBO
Duração do Episódio: 60 minutos

Strike: The Cuckoo’s Calling é a adaptação da BBC One do primeiro livro da série Cormoran Strike, entitulado O Chamado do Cuco, escrito por J. K. Rowling sob pseudônimo de Robert Galbraith. Cormoran Strike é um investigador particular que foi contratado por John Bristow para descobrir quem matou sua irmã, a famosa modelo Lula Landry, que caiu de um prédio de luxo em Londres sob circunstâncias suspeitas. Com a ajuda de sua secretária temporária Robin Ellacott, Cormoran tenta resolver esse mistério.

Como toda boa fã de J. K. Rowling e de Harry Potter, quando soube que Cormoran Strike ia virar série, fiquei nervosa (como comentei aqui) com medo de tudo dar muito errado. Conforme foram saindo as notícias, fui acompanhando a escolha do elenco e a quantidade de episódios, fotos de divulgação, e confesso que estava tensa porque pensei que a escolha do ator para fazer o Cormoran foi um pouco equivocada, já que ele não batia muito com a descrição do Cormoran do cânone: enquanto nos livros ele tem mais de um e noventa (tanto que vive batendo com a cabeça nos batentes de portas), cabelo crespo, olhos castanhos e pele um pouco escura e sobrepeso, Tom Burke tem 1,83m, cabelo liso, olhos azuis e pele branca. De tão nervosa que estava, fui procurar trabalhos desse moço e acabei assistindo boa parte de The Musketeers, uma série também da BBC, em que ele era o Athos e fiquei parcialmente menos nervosa. Já assisti e reassisti Strike: The Cuckoo’s Calling e agora posso afirmar que essa escolha foi muito sábia.

Charmosíssimo esse menino Cormoran.

Acho que por J. K. (sou íntima) ser uma das produtoras executivas – ela está envolvida na produção dos 7 episódios, cinco dos quais já foram ao ar – o elenco foi escolhido a dedo. O único personagem que destoa um pouco da descrição dos livros é o Cormoran de Tom Burke, mas fora ele, todos os outros personagens são exatamente como descritos nos livros. Holliday Grainger é exatamente a Robin e Kerr Logan cumpre muito bem seu papel como Matthew. Todo o elenco trabalha incrivelmente bem e a química entre Holliday e Tom é apenas sensacional, e ela sendo fofíssima e inteligentíssima mais ele sendo inteligentíssimo e charmosíssimo resultam no ship do milênio (sério, leio os livros e shippo muito os dois, mas eles conseguiram elevar esse casal a obsessão maluca na série porque esses dois se comunicam tão bem só com o olhar que não há como derreter o cérebro de quem é fã, vocês me perdoem, mas tô apaixonada). Na verdade, todos os atores se expressam muito bem e nada deixam a desejar para quem leu O Chamado do Cuco.

Me sinto como um mamute lanoso que foi parar no cerco da gazela.

O roteiro da série é praticamente o livro, com pouquíssimos cortes na história. São três episódios que retratam uma trama complexa, e penso que esses poucos episódios são o suficiente para contar bem o que aconteceu e também para se envolver com os personagens. A fotografia é lindíssima, a trilha sonora é extraordinariamente oportuna (a música de entrada é sensacional) e a direção colabora para o aprofundamento dos personagens naquele curto espaço de tempo, além de claro, corroborar para que o espectador se envolva com tudo que está ocorrendo ali. Penso que poucas adaptações televisivas sejam tão fiéis às obras de origem como essa, e o bom é que tanto quem leu como não leu consegue assistir a série e compreender tudo que está ali; porém sempre têm aquelas sacadas que só quem leu os livros entende, como por exemplo o passado de Leda Strike e de Robin também. O roteiro conta com poucos e suaves – porém bem colocados – alívios cômicos, como o Cormoran falando com a perna, o que aumenta a tensão do espectador. Também há uma imensa atenção aos detalhes, e gostei demais do fato de Strike: The Cuckoo’s Calling contar como Cormoran perdeu um pedaço da perna esquerda. Além disso, em três episódios temos uma evolução ótima dos personagens, assim como no livro, e amei o fato de o protagonismo ser dividido entre Robin e Cormoran. O resultado de Strike: The Cuckoo’s Calling saiu até melhor que a encomenda.

Vocação Para o Mal – Cormoran Strike 3

Por 9183 Acessos

    Livros da série Cormoran Strike:

  1. O Chamado do Cuco
  2. O Bicho-da-Seda
  3. Vocação para o Mal
  4. Lethal White
Vocação Para o Mal – Cormoran Strike 3

Minha Classificação:
Vocação Para o Mal (Cormoran Strike, #3) goodreads
de
Publicação: em 2016
Gênero:
ISBN: 9788532530257
Título Original: Career of Evil
Páginas: 496
Tradução: Ryta Vinagre
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Este é o terceiro volume da série. Para ler as resenhas da Camila sobre os dois primeiros, clique aqui para O Chamado do Cuco e aqui para O Bicho-da-Seda.

Após os sucessos dos casos Lula Landry e Owen Quine, a agência de investigação particular do detetive Cormoran Strike vai bem. Até que um dia, sua secretária Robin recebe um pedaço de perna humana decepada pelo correio e então ela e o detetive começam a procurar o assassino, que pode ter relação com o passado obscuro de Strike.

– Você conhece quatro homens que te mandariam uma perna decepada? Quatro?     Pág. 25

Antes de começar a resenha propriamente dita, penso que preciso deixar as minhas breves opiniões sobre os dois primeiros livros aqui: O Chamado do Cuco é um ótimo livro introdutório, que nos emerge rapidamente no mundo de Cormoran e Robin, nem um pouco previsível, porém ainda deixando mistérios e ganchos necessários aos dois volumes subsequentes. O Bicho-da-Seda é um pouco mais sombrio (acho que a J. K. tem essa tendência nas séries de livros dela, vide Harry Potter, que depois do quarto livro se torna bem lúgubre), também completamente imprevisível, embora siga a mesma linha de narrativa do primeiro. Os dois possuem personagens bem construídos e articulados, além de claro, envolverem o leitor até o pescoço no problema apresentado pela história e também nas cabeças de Cormoran e Robin. Confesso que li os livros tão rápido que alguns detalhes poderiam ter se embolado, mas são tão bem escritos que isso não aconteceu.

Vocação Para O Mal é de longe o livro mais sombrio da série, e já começa diferente: o primeiro capítulo é do assassino. Todos os capítulos dele são intitulados por uma música, e os capítulos normais são precedidos por letras de música de uma banda, a Blue Öyster Cult – o nome do livro em inglês é o título de uma música dessa mesma banda (ouça aqui)! Isso de cara já me deixou nervosa, pois ao longo do livro você acompanha o quão perto ou longe Strike e Robin estão de pegar o assassino, mesmo que já no começo da história o detetive tenha seus quatro suspeitos e a investigação gire em torno deles, existem momentos em que você tem certeza de que é um, mas o capítulo seguinte te deixa pensando que é outro. Outra surpresa boa é que esse volume traz o primeiro caso de serial killer, e não um assassinato isolado, o que dificulta mais ainda o caso.

Strike ficava cada vez mais taciturno, tinha uma expressão sinistra. Robin imaginou se era por conta da fome – ele era um homem que precisava de alimento para manter a serenidade – ou se era por algum motivo mais sombrio. Pág. 28

Nesse livro temos o desenvolvimento de uma relação mais íntima entre Strike e Robin (como não shippar?), além de termos um vislumbre bem maior da vida e do passado dos dois, principalmente do de Strike, sempre tão restrito quanto a isso. Para mim, além do assassinato em série de mulheres, o mais pesado desse livro é a parte da Robin, e lendo dá para sentir a angústia da personagem, sabendo pelo que ela passou. Esse livro deveria ter aviso de gatilho, seria muito útil. E além disso, temos também um enriquecimento muito grande nos personagens, que mesmo sendo adultos, têm uma maneira meio torta de lidar com as coisas, principalmente sentimentos, e claro, também acertam às vezes.

E, por uma fração de segundo, antes de fixar toda a sua atenção em Shanker, Strike imaginou-se esmurrando Matthew e gostando disso. Pág. 131

Assim como os dois volumes anteriores, Vocação Para O Mal é carregado de humor negro e piadinhas internas ótimas para aliviar o clima de tensão crescente abordado pela narrativa. E também trata de um tema pouco conhecido pelo público, o Transtorno de Identidade de Integridade Corporal (TIIC) e seus percalços. Para mim, um grande destaque foi Robin, que já vinha crescendo muito como personagem, e nesse livro tem um papel importantíssimo; senti que agora sim ela foi posta em pé de igualdade com Strike e que nesse terceiro volume eles dois foram consagrados como protagonistas – o que me deixou super feliz. O final do livro tem um gancho gigantesco para o próximo, e já estou aqui triste e cabisbaixa porque não há data de lançamento do quarto volume, mas pelo menos, li que a autora pretende publicar mais 5 livros da série, então o coração já esquenta sabendo que vai ter Cormoran Strike por um bom tempo.

Os direitos dos livros foram comprados pela BBC One e a série de TV, intitulada “Cormoran Strike“, está prevista para ter três episódios na primeira temporada. Tom Burke foi escolhido como Cormoran Strike e Holliday Grainger será Robin Ellacott; e eu não gostei muito da escolha do Tom Burke porque ele só é feio igual ao Strike, mas as características físicas não batem nem um pouco – características estas frisadas em todos os livros, quase o tempo todo -, já a Holliday é idêntica à Robin dos livros! A série já começou a ser filmada, inclusive já saiu foto de divulgação com os dois (abaixo). Realmente não sei bem o que esperar, estou claramente empolgada, mas minha esperança sempre fica em que não estraguem tudo…

Robin e Cormoran em frente ao Tottenham, pub favorito dele :)