Você está em: Início / Tag / E Assim Que Acaba

Melhores e Piores Livros de 2017

Por 17596 Acessos

Essa é a nossa lista de melhores e pior livros de 2017. Não necessariamente lançamentos do ano, mas livros que lemos neste período.

Melhores

Camila

O Ano em que Disse Sim – Ler Shonda foi maravilhoso de uma forma que eu não esperava, ela é engraçada e espirituosa e sua narrativa te prende e vai te ganhando ao ponto de você pensar que também deveria fazer um ano do sim, para se desprender e se libertar de velhos paradigmas. É uma narrativa poderosa sobre retomar as rédeas da vida e se permitir fazer as coisas que antes assustavam. É definitivamente um livro que vai ser relido.

Fúria Vermelha – Apesar de estar na minha estante há muito tempo foi apenas esse ano que resolvi ler e fui surpreendida pela história, não esperava gostar tanto como gostei. A mistura de distopia, mitologia e ficção científica deu muito certo e conseguiu explorar bem todos os elementos dessa construção. O ritmo da narrativa é rápido, cheio de ação e reviravoltas, um ótimo começo de série.

Menções Honrosas: Corte de Névoa e Fúria, Outros Jeitos de Usar a Boca

Leia tudo »

É Assim que Acaba

Por 6560 Acessos

É Assim que Acaba

Minha Classificação:
É Assim Que Acaba goodreads
de
Publicação: em 2018
Gênero:
ISBN: 9788501301642
Título Original: It Ends with Us
Páginas: 368
Tradução: Priscila Catão
Nível no Idioma Original: Fácil
Lançamento no Brasil: Fevereiro de 2018
Compre em lojas confiáveis:
submarinoamericanasshoptimeamazonbookdepositorykindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Lily Bloom nunca teve uma vida fácil, por isso ela trabalha muito pra alcançar seus objetivos, tanto que se mudou de uma pequena cidade no Maine para Boston. No dia do funeral de seu pai ela resolve ir para o telhado de um prédio alto para pensar e lá acidentalmente conhece o neurocirurgião Ryle Kincaid. Ela acaba se apaixonando por ele e a vida de repente parece incrível, mesmo depois de anos mantendo pensamentos em seu primeiro amor, Atlas Corrigan, que decide reaparecer. Mas às vezes a pessoa que você ama também é capaz de te machucar.

Adoro quando o céu me faz sentir insignificante. Adoro isso esta noite. (Tradução livre)

Dia desses de madrugada, minha amiga falou desse livro pra mim. Disse que tinha terminado e não conseguia dormir, então é óbvio que procurei o livro na hora. Ela também me disse que era melhor ler sem saber do que se tratava, mas quando vi a capa, já tive uma pequena noção. Então comecei a lê-lo de noite e só consegui dormir depois de ter terminado, porque a leitura é muito fluida e o assunto muito sério. Não sei o que deu na cabeça dessas autoras que andam fazendo livros sobre relacionamento abusivo, mas vocês estão fazendo um grande favor para muitas pessoas! It Ends With Us aborda o mesmo assunto de Amor Amargo, mas de uma maneira totalmente diferente. O único fator em comum às duas histórias além do tema é a narrativa em primeira pessoa, o que nos faz ter mais empatia pela visão da personagem, que no caso, é a Lily. É sempre bom avisar que esse livro contém cenas fortes, então pode ser gatilho para alguém.

Lily é uma moça de 23 anos que se graduou na faculdade e trabalha numa firma de negócios, mas larga o emprego para abrir sua própria loja de flores. Ela é fruto de um lar disfuncional, onde seu pai abusava de sua mãe frequentemente, portanto, ela sempre bate na tecla de que isso não vai acontecer com si porque ela não vai deixar, mas não é assim que o mundo funciona. Confesso que no começo me apaixonei pelo Abusador (vou pôr assim para não dar spoilers), só que sendo quem sou, já comecei a ler o livro montando os diversos rumos que a narrativa podia tomar porque existem meio que dois tempos no romance: o passado de Lily, e o presente. O passado é contado através de um diário dela, sendo que numa maneira diferente da narrativa comum do livro, porque ela o escrevia como se fossem cartas para a apresentadora Ellen DeGeneres, e através destas, conhecemos sua relação prévia (e linda) com Atlas, portanto parece que Lily conversa conosco. Penso que a autora faz isso para que o leitor fique mais próximo da personagem, até porque as cartas são alternadas com o presente, então sente-se o sofrimento da Lily de agora mais intensamente porque conhecemos seu sofrimento passado, entende?! Inclusive uma coisa que gostei muito foram as referências à Dory, personagem de Procurando Nemo/Procurando Dory – dublada originalmente por Ellen DeGeneres -; realmente pegou no meu coração de fã da Disney ali naquele contexto. Esse livro quase me fez chorar diversas vezes.

Onde estão as pessoas que perguntam sequer o porquê dos homens serem abusivos? Não é neles que toda a culpa deveria estar? (Tradução livre)

Na capa da edição que peguei há uma frase da Kami Garcia dizendo que “toda pessoa com um batimento cardíaco deveria ler esse livro” e eu não poderia concordar mais. Essa história é o famoso “tapa sem mão” que muita gente precisa para parar de falar besteira por aí. Em 2017 ainda existem pessoas reproduzindo discurso de que se a mulher abusada não deixa o abusador é porque ela é safada ou burra ou qualquer outro adjetivo depreciativo que se possa imaginar. It Ends With Us veio para desconstruir toda e qualquer visão, preconceituosa ou não, de quem está vendo a relação de fora. Poxa, a Lily teve um pai abusador, sempre se convenceu de que nunca ia se sujeitar a abusos, é uma mulher forte e resoluta mas a vida não é como nós queremos. É muito difícil, para não dizer excruciante, para um ser humano admitir que aquele que se ama não te faz bem, que aquela pessoa tão querida, tão importante, pode te machucar – tanto psicologicamente como fisicamente. Abusos podem acontecer em qualquer família, em qualquer situação! Ao longo do livro e da narração de Lily, consegui entender um pouco melhor como um relacionamento abusivo funciona, pois a visão e a maneira de escrever de Colleen Hoover é sensacional e diferente, não tem como explicar direito, só lendo mesmo.

Ademais, amei a história prévia de Lily e Atlas e a maneira em que foi posta no contexto, pois não serve de alívio para o que vai acontecer: serve como um conhecimento dos personagens e um acalento no coração do leitor para a autora vir depois e te destruir. Sempre bom. As mulheres de Colleen Hoover são fantásticas e me apaixonei por Alyssa, Jenny e claro, Lily; é muito lindo quando as autoras dessa vida conseguem dar a dimensão necessária para personagens femininas mesmo que não sejam as protagonistas. E o final do livro é ótimo, particularmente a cena do hospital deveria ser impressa e colada em todos os postes e locais públicos de fácil acesso do planeta – de repente assim faríamos um mundo melhor e mais igualitário -, além disso, a nota da autora no fim do livro é excelente e importantíssima! Por fim, recomendo demais essa leitura, seja qual for a sua idade e seu sexo. Espero que It Ends With Us não demore muito mais para chegar ao Brasil, porque que foi lançado em agosto do ano passado (já tinha dado tempo de traduzir né, vamos agilizar isso aí!) e considero leitura obrigatória na vida.

OBS: Esse livro foi lido originalmente em inglês, mas após o lançamento nacional as informações técnicas foram atualizadas. Em seu idioma original, o nível de dificuldade é fácil.