Você está em: Início / Tag / 2015

Penadinho – Vida

por • 3916 Acessos

Penadinho – Vida

Minha Classificação:
Penadinho: Vida goodreads
de ,
Publicação: em 2015
Gênero:
ISBN: 9788542602142
Páginas: 80
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamericanasamazon
A compra pode render comissão ao blog.

Praticamente fui alfabetizada com a Turma da Mônica, lembro de treinar a leitura com os gibis, meu pai trazia todo dia um gibi novo para que eu lesse em voz alta, o que logo se tornou em “pode ler só pra você, mesmo” e um amontoado de caixas de gibis no meu quarto. Minhas histórias preferidas foram alternando, tinha época que era da Magali, depois da Mônica, Rolo, Penadinho e assim por diante. Acho a ideia das Graphics MSP fantástica, pois traz releituras de personagens conhecidos tanto no traço como nas situações apresentadas.

Desde que essa HQ foi anunciada que sou apaixonada por ela, acho que é capa mais bonita de todas as HQ’s já lançadas nessa coleção. Em Penadinho Vida tudo  está calmo no cemitério e os personagens estão brincando de esconde-esconde quando a Dona Cegonha aparece e avisa o Penadinho que a Alminha reencarnará na manhã seguinte. Chocado com a notícia e triste pelo tempo que passaram juntos e que ele não teve coragem de se declarar, ele decide cumprir uma, das várias que ele fez e não cumpriu, promessa para Alminha, de levá-la ao cinema. Só que as coisas dão muito errado e Alminha some, por isso o Penadinho tem que juntar a turma do cemitério para encontrá-la a tempo de se declarar, ou seja antes do amanhecer.

Apesar da minha paixão pelos traços dessa HQ só ter aumentado, Dona Morte inclusive está espetacular, amei a sua concepção e os penduricalhos da foice, a história foi meio decepcionante. O antagonista dos personagens é fraquíssimo e suas motivações, assim como dos seus ajudantes, são quase inexistentes. O arranjo feito para que todos os personagens apareçam também foi bem mal estruturado e não faz sentido no contexto geral da narrativa, não fariam diferença para a história caso tivessem sido cortados. Fiquei com a sensação de que faltou coesão, vários elementos foram apresentados, mas quase nenhum deles tinha ligação com os outros, como se estivessem apenas preenchendo uma check-list de itens que precisam ter na história.

 A paleta de cores e os traços estão maravilhosos e simplesmente adorei a releitura dos personagens. A minha edição é capa dura, mas é possível encontrar o quadrinho nas duas versões, capa dura e capa mole. No final das edições dessa coleção são colocados extras em que os autores falam um pouco do processo de criação das histórias e dos personagens e mostram alguns rascunhos feitos durante a criação. Nesse quadrinho também foi colocado todas as versões de capas apresentadas até chegar na final. Ainda pretendo ter todas essa coleção em casa, mas por enquanto vou me contentando com Penadinho – Vida e Turma da Mônica – Laços que são os dois quadrinhos que já estão na minha estante.  

Filho Dourado – Fúria Vermelha 2

por • 4511 Acessos

    Livros da série Fúria Vermelha:

  1. Fúria Vermelha
  2. Filho Dourado
  3. Estrela da Manhã
Filho Dourado – Fúria Vermelha 2

Minha Classificação:
Filho Dourado (Red Rising Trilogy, #2) goodreads
de
Publicação: em 2015
Gênero:
ISBN: 9788525059543
Título Original: Golden Son
Páginas: 549
Tradução: Alexandre D'Elia
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Após os acontecimentos no Instituto, Darrow sobre a proteção da família Augustus vai para a Academia e nem tudo sai conforme o esperado. Mais uma vez Darrow se vê diante de grandes decisões, acordos questionáveis, traições e uma luta por sobrevivência física e ideológica.

Faço o que for necessário fazer. Nem mais nem menos. E preciso de um senhor da guerra. Eu serei Ulisses e você será Aquiles.

Apesar desse ser o segundo livro da série ele não padece da maldição do segundo livro. Brown retoma a fórmula de ação e mais de 80% do livro estamos lendo cenas de confronto, de luta ou guerra. Porém dessa vez ele usa um recurso de esconde e mostra, muitas cenas são desencadeadas de relações, histórias e acordos que não tivemos acesso e não tem problema nenhum, porque nunca parece que foi uma decisão tomada para resolver um problema de narrativa, as pistas tinham sido deixadas antes e só o conhecimento de todas as ações é que surgem depois. Assim como os personagens são surpreendidos pelas ações de Darrow, nós leitores também somos e é instigante saber e ter tanto de um personagem e ao mesmo tempo ter momentos e decisões escondidas que são reveladas no ápice dos acontecimentos.

Um tolo puxa as folhas. Um selvagem corta o tronco. Um sábio desenterra as raízes.

Temos a chance de conhecer personagens que só havíamos ouvido sobre em Fúria Vermelha, Lorn au Arcos é um deles e que personagem espetacular esse homem se mostra. Afastado da sociedade por não coadunar com os métodos da soberana, benevolente e ainda assim um Ouro até a medula, não vê nada de errado com a pirâmide das cores e exala sabedoria e arrogância na mesma proporção. Também conhecemos a Soberana e sua Fúrias, principalmente Aja au Grimmus, e podemos entender melhor a política e operação da sociedade. E entendendo a política veremos golpe atrás de golpe e seremos jogados num redemoinho de traições e levantes, serão tantos que literalmente perdi a conta no meio do livro que consegue mostrar o quão complexo é derrubar um governo vigente com lideranças estabelecidas ao seu lado.

Descobrimos quem é Ares e em nenhum momento tinha me passado pela cabeça que seria esse personagem, para ser sincera não tinha pensado muito sobre ele já que Darrow rouba a cena, mas a cena em que ele se mostra é tão rápida e intensa que foi uma das melhores no livro e demostra que Ares tem o coração no lugar, independentemente de toda base social e objetivos revolucionários.

Você encontrará a ruína porque acredita que exceções à regra produzem novas regras. Que um homem mau pode se livrar dos adornos da maldade só porque você quer que ele o faça. Homens não mudam. É por isso que matei o
 rapaz (…).

E aí temos o final mais desesperador possível depois de uma longa jornada e ao mesmo tempo que você está apreensivo você quer gritar EU AVISEI que isso iria acontecer. Sim, tem um cliffhanger absurdo no final que te faz querer estrangular o autor, mas amar a história. Fazia tempo que não me sentia tão encantada por uma história, por um personagem. Hic sunt leones. 

0
comentário

#53: O Filho Dourado – Fúria Vermelha 2, Pierce Brown

por • 4000 Acessos

Filho Dourado (Red Rising Trilogy, #2)

Filho Dourado (Red Rising Trilogy, #2) goodreads
de Pierce Brown
Série: Fúria Vermelha #2
ISBN: 9788525059543
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamericanasshoptimeamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Primeira frase da página 100:
Como se cem fosse o bastante para combater a máquina bélica dos Ouros.

Do que se trata o livro?
Após os acontecimentos no Instituto, Darrow precisa continuar mostrando o seu valor. Maquinações políticas, acordos e duelos o esperam na sua jornada para mudar a sociedade.

O que está achando até agora?
Ótimo, Pierce Brown mantém o ritmo de ação do primeiro livro e leva Darrow cada vez mais ao seu limite.

O que está achando da personagem principal?
Eu gosto do Darrow, às vezes ele fica confuso sobre qual atitude tomar, travando uma guerra de lealdade entre sua missão e a amizade com alguns Ouros. E toda vez que ele fica no meio termo sempre faz burrada. Porém, quando toma uma decisão ele é como uma flecha: rápido e certeiro. Definitivamente um dos melhores protagonistas que li esse ano.

Melhor quote até agora:

Está claro que eu não sou amada. Se eu fosse amada, haveria um coração aqui pra saciar minha fome de vingança. Se eu fosse amada, minha família honraria o irmão perdido. Mas eu não sou amada. Ele não é vingado. Eles não fazem nada. O que foi que eu fiz para merecer uma família tão odiosa?

Vai continuar lendo?
Definitivamente, mal posso esperar para descobrir mais sobre a jornada de Darrow.

Última frase da página:
Dancer sempre o respeitou - digo. - Eu o respeito, apesar de todas as... excentricidades dele.