Você está em: Início / Tag / 2010

Orgulho e Preconceito e Zumbis

por • 11685 Acessos

Orgulho e Preconceito e Zumbis

Minha Classificação:
Pride and Prejudice and Zombies goodreads
de ,
Publicação: em 2010
Gêneros: , ,
ISBN: 9788598078748
Título Original: Pride and Prejudice and Zombies
Páginas: 320
Tradução: Luiz Antonio Aguiar
Compre em lojas confiáveis:
saraivasubmarinoamazonkindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

Há muito tempo atrás eu li esse livro, mas naquela época ainda não escrevia para o blog. O comprei assim que saiu, em 2010, porque (acho que todo mundo que lê o blog já sabe) Orgulho e Preconceito talvez seja meu livro preferido da vida toda e o que zumbis não poderiam melhorar nesse livro?

Orgulho e Preconceito e Zumbis nada mais é que a ampliação da obra magnânima de Jane Austen para o mundo das criaturas mais famosas da cultura pop: os zumbis. Elizabeth Bennet é uma jovem guerreira que é exemplar na hora de exterminar os ditos “não mencionáveis”, treinada pelos mestres mais famosos da China e uma das responsáveis por proteger a Inglaterra daqueles que sucumbem à terrível praga que assola o país. Depois de sua família travar conhecimento com os jovens aristocratas Sr. Bingley e Sr. Darcy, segue-se o desenrolar de uma bela história de amor com direito à muito sangue, tripas e mortos-vivos.

Cerca de vinte metros abaixo, oito ou nove zumbis empapados de sangue rastejavam sobre uma carroça destroçada e seus barris que vazavam. Pág. 57

O que eu mais gostei nesse livro, além de claro, ter zumbis e ser uma versão da minha obra favorita da vida, é que Seth Grahame-Smith preserva todas as características mais importantes do Orgulho e Preconceito original, como a personalidade maravilhosa de Elizabeth e o caráter taciturno de Darcy. Elizabeth nesse livro é uma discípula de Mestre Liu, que foi treinada no Oriente desde pequena para ajudar sua família e vizinhos no combate aos “enviados de Satã” que se reproduzem com frequência pela Inglaterra; ela e suas irmãs são qualificadíssimas nas artes mortais e por isso, ímpares famosas na comunidade local. O Sr. Darcy também é famoso por suas habilidades mortais e também por ter aniquilado inúmeros não mencionáveis em campo. Jane é uma belíssima guerreira também, mas já o Sr. Bingley não tem muita competência nessas artes. No que tange ao resto, os personagens e à essência do livro são a mesma, constantemente pontuados por desastres com zumbis e lutas corpo-a-corpo. A ação vem em dose certa, comedido com romance.

Elizabeth embainhou a espada, ajoelhou-se e matou-o estrangulado com seu próprio intestino grosso. Pág. 129

Ademais, eu adorei a capa do livro. Remete mesmo às capas de livro antigo, com uma pintura de uma moça mas toda ensanguentada e parcialmente comida. Linda! A diagramação do livro é normal, mas vez ou outra temos ilustrações muito legais de passagens do livro e todas elas têm cunho de ação, são realmente bem feitas. Além do mais, em 25 de fevereiro estréia Orgulho e Preconceito e Zumbis nos cinemas e pelo trailer (para assistir o trailer, clique aqui) parece que vai ser muito bom e muito fiel ao livro. O elenco também é muito bom, tem a Lily James como Elizabeth (que fez o live action de Cinderela), a Lena Headey como Lady Catherine de Bourgh (Cersei Lannister em Game of Thrones), Charles Dance como Sr. Bennet (Tywin Lannister – quanto Lannister nesse filme! – de Game of Thrones) e Sam Riley como Sr. Darcy (que está em Malévola).

Correr Ou Morrer – Maze Runner 1

por • 25881 Acessos

    Livros da série Maze Runner:

  1. Correr ou Morrer
  2. Prova de Fogo
  3. A Cura Mortal
  4. Ordem de Extermínio
  5. Arquivos
Correr Ou Morrer – Maze Runner 1

Minha Classificação:
The Maze Runner goodreads
de
Gêneros: ,
ISBN: 9788576832478
Título Original: The Maze Runner
Páginas: 426
Tradução: Henrique Monteiro
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

Curiosidade. Foi única e somente por isso que eu me interessei por Maze Runner. Estávamos eu e Cibele jogadas no chão da Bienal na direção da V&R Editora, e enquanto estávamos lá jogadas, milhões de pessoas de todas as idades ficaram tirando fotos na frente do pôster do filme e aquilo atiçou minha curiosidade. Por uma futilidade infinita, no último dia da Bienal, entrei no stand e comprei os 5 livros da série e rezei para que minha sorte com “compras de séries de livros por impulso” funcionasse dessa vez. E não deu outra!

E se todos eles estivessem sentenciados a viver ali até a morte? Pág. 75

Thomas é um adolescente que acorda de repente numa caixa de metal que parece um elevador. Horas depois, ele descobre que tem um novo lar: a Clareira. Lá vivem cerca de 60 adolescentes, que sobrevivem de subsistência além dos suprimentos que chegam da Caixa uma vez por semana; e uma vez por mês, chega um adolescente pelo mesmo lugar. Eles não sabem como e porquê foram parar ali, mas pensam que os Criadores são os responsáveis; porém tentam encontrar uma saída através do labirinto gigante que cerca a Clareira – labirinto este que muda todos os dias e é povoado por bichos nojentos que matam e picam os que derem mole, Verdugos. Mas em determinado momento, as coisas começam a mudar de rumo e os Clareanos são ameaçados tanto pelos Verdugos quanto pelos Criadores. Apenas com a ajuda de Thomas e dos demais meninos, eles podem ser capazes de encontrar uma saída.

Será que as pessoas por trás do Labirinto os controlavam de alguma forma? Era um pensamento aterrorizante. Pág. 202

Confesso que pelo que o vendedor me disse, não esperava muita coisa do livro, mas ouso dizer que me surpreendi positivamente. A história é ótima, e o modo como James Dashner escreve é de tirar o fôlego: a cada final de capítulo tem um acontecimento que puxa o resto da história, então quando eu ia ler antes de dormir, era uma verdadeira tortura. O ambiente e o pano de fundo de conspiração distópica meio Jogos Vorazes (não tem nada a ver com a trilogia de Katniss Everdeen, é só para vocês terem uma ideia) são muito bem escritos e descritos, e por isso mesmo a imaginação voa e a cabeça fica cheia de teorias, uma diferente da outra. 

Esquecer todas as coisas ruins. Esquecer tudo. Não desistiria enquanto não desvendasse o enigma do labirinto e encontrasse o caminho de volta para casa. Pág. 228

Thomas é um personagem muito forte, inteligente e humilde. Os outros personagens também são fortes, líderes, carismáticos e também inteligentes, todos eles têm o seu papel na trama e todos eles envolvem o leitor de alguma forma. Meus favoritos são Minho e Chuck. Não vou ficar descrevendo muita coisa porque se não seria spoiler. O finalzinho me arrasou loucamente e eu chorei vidas, porém o final mesmo não me surpreendeu muito; é previsível, mas ainda é aquilo que você fica assustada e ruminando o que virá depois. Eu vi o filme e fiquei meio triste, porque eles não souberam aproveitar certos elementos que fazem a diferença no livro e que atiçam a curiosidade do espectador, e além disso, Thomas é muito mais “arrogante”, digamos assim, no filme do que no livro. Isso para mim tirou meio que a graça do personagem. Sem contar que tudo no filme é muito óbvio, os pontos de tensão não cativam tanto como no livro – houveram momentos durante a leitura que eu ficava arrepiada até os cabelos!

DUFF

por • 28119 Acessos

DUFF

Minha Classificação:
The DUFF: Designated Ugly Fat Friend goodreads
de
Publicação: em 2016
Gêneros: ,
ISBN: 9788525060631
Título Original: The DUFF: Designated Ugly Fat Friend
Páginas: 328
Nível do idioma: Intermediário
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

Bianca é melhor amiga de duas das garotas mais bonitas da escola. Num dia enquanto está no bar esperando as amigas acabarem de dançar para ir embora, Wesley Rush, o cara mais galinha que ela conhece, se aproxima e a chama de DUFF (Designated Ugly Fat Friend), algo como a menina feia do grupo que serve para fazer as outras parecerem mais bonitas. Ela joga o refrigerante que estava bebendo na cara dele e vai embora, mas não consegue deixar de pensar no que Wesley falou.

Quando problemas familiares deixam a vida de Bianca ainda mais complicada, ela vê em Wesley o escape que precisava para não pensar em tudo que a preocupa. Só que Wesley também tem um monte de problemas e eles vão precisar um do outro cada vez mais.

“Quando eu começo a achar que você talvez tenha alma, você diz coisas assim.”

Conheci esse livro mais ou menos em 2010 porque ele tem a capa muito parecida com a de Bubble Gum, mas foi só esse ano que decidi ler por causa do filme (que a Mayra disse que era muito legal e acreditei). Fui sem expectativa nenhuma e acabei amando. A Bianca é meio repetitiva porque ela fica REALMENTE chateada com a história de “Duff” e repete isso tanto que eu já tava cansada, mas no geral ela é uma protagonista/narradora divertida. Adoro a amizade dela com as meninas e o “relacionamento” com Wesley, que também é um personagem ótimo.

“Ele dorme com tudo o que se move, e o cérebro está localizado nas calças – o que significa que é microscópico.”

Agora eu queria tirar aqui um parágrafo para falar com você sobre Wesley Rush. Ele é lindo e tem um montão de qualidades. Sim, ele chama ela de DUFF e diz que “Wesley Rush não corre atrás de garotas, elas correm atrás dele”, mas acho que isso é tudo mecanismo de defesa e tenho direito sim de ficar apaixonadinha por ele.

“Pessoas que xingam você só estão tentando se sentir melhor. Elas estão cheias de problema também. Você não é a única.”

Todos os acontecimentos da história foram interessantes e contribuíram para a evolução dos personagens. Gostei muito de tudo, inclusive da parte final que resolve tudo o que ficou em aberto e fecha a história com chave de ouro.

O FILME: Olha, já adianto que é BEM diferente do livro, mas adorei a Mae Whitman como Bianca. Em breve faço outro post falando mais sobre a adaptação.

Esse livro foi lido em inglês, mas foi atualizado com informações da edição nacional. Em seu idioma original o nível de dificuldade é intermediário.