Você está em: Início / Resenhas De Livros / Serie De Livro / Lobo Por Lobo

Lobo por Lobo – Lobo por Lobo 1

Por 5939 Acessos

    Livros da série Lobo por Lobo:

  1. Lobo por Lobo
  2. Blood for Blood
Lobo por Lobo – Lobo por Lobo 1

Minha Classificação:
Lobo Por Lobo (Lobo Por Lobo, #1) goodreads
de
Publicação: em 2016
Gênero:
ISBN: 9788555340192
Título Original: Wolf by Wolf
Páginas: 360
Tradução: Guilherme Miranda
Compre em lojas confiáveis:
saraivaculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

E se o Eixo tivesse ganhado a II Guerra Mundial? Yael é uma jovem judia de 17 anos que presenciou os horrores dos campos de concentração e perdeu todos a quem amava para as cruéis mãos dos nazistas. Quando consegue fugir e entrar para a resistência, ela ganha uma missão: roubar a identidade de Adele Wolfe e participar do Tour do Eixo de 1956, uma corrida anual de motocicletas através do que foram as antigas Europa e Ásia, que demonstram a superioridade das raças japonesas e arianas, donas da Nova Ordem, que controla a maior parte do mundo. No Baile da Vitória, Yael deve assassinar ninguém menos que o Führer do 3º Reich, Adolf Hitler, portanto é ganhar a corrida ou morrer tentando.

As únicas pessoas desesperadas o bastante para atuar sob a lua e as trevas pesadas eram os conspiradores da resistência, os salafrários do mercado negro e os judeus disfarçados.
Yael era as três coisas. Pág. 18

A premissa desse livro é incrível: uma corrida brutal e visceral de motocicletas entre japoneses e alemães, para que no final, Hitler morra. Pode parecer meio Jogos Vorazes e de certa forma até é, só que muito diferente em sua essência. Em Lobo por Lobo a autora trabalha muito bem o “e se?”, desnudando um mundo pós guerra que muitos de nós nem conseguiríamos imaginar: cidades devastadas, campos de trabalhos forçados por todos os lugares, repressão, morte e dor e sofrimento infinitos na maior parte do mundo. Para um livro de young adult, achei bem pesadinho até porque quando você trata do assunto “II Guerra Mundial” não há livro que se torne leve, mas Ryan Graudin escreve muito bem e faz com que o leitor sinta a tensão de Yael e sinta a dor tão grande dela, às vezes também tendo noção de seu grande vazio existencial.

Ela não tinha apenas nascido para aquilo. Tinha sido criada para aquilo. Pelas agulhas dele. Pelos homens dele. Pág. 68

Yael, em momento nenhum (tirando os flashbacks de quando era uma criança judia em meio a nazistas) se faz digna de pena, e para mim, isso foi uma das melhores coisas da história; a protagonista tira força da sua dor. Achei os flashbacks e o presente muito bem desenvolvidos, com uma pesquisa ampla da autora e uma base histórica bem plausível, tirando o único elemento fantástico presente no livro – não falo porque é spoiler. A construção dos personagens é muito boa, a cadência da história é muito bem feita e me peguei querendo mas não querendo ler rápido, porque não tenho ideia de quando sai o próximo, porque é o tipo de leitura que prende. O tempo todo queria saber o que ia acontecer e preciso dizer que gostei de todos os personagens secundários, uns mais (Luka, seu lindo, casa comigo) outros menos (Felix realmente um carrapato) mas todos com papéis bem delineados no livro. 

Ainda havia beleza no mundo. E valia a pena lutar por ela.
Por isso Yael correu ainda mais rápido. Pág. 263

Graudin ganhou muitos pontos positivos para mim pelo seu timing, não só no que se aplica à corrida, mas também porque ela soube como usar o romance no livro de forma a não atrapalhar o objetivo de Yael mas mesmo assim se tornando um fator importante do começo ao final; e também temperando os acontecimentos com as dúvidas que a nova identidade de Yael, Adele, traziam e assim, aumentando a complexidade da personalidade da protagonista. Além disso, existem várias reviravoltas nada previsíveis na história e o final é digno de nota, muito imprevisível e deixa inúmeros ganchos. Ah, e a capa desenvolvida pela Seguinte é lindíssima e super tem a ver com Lobo por Lobo, e espero que a continuação saia logo porque estou ansiosa!