Você está em: Início / Resenhas De Livros / Genero / Ficcao Realista

Antes Que Eu Vá

por • 5592 Acessos

Para conferir a resenha da adaptação "Antes Que Eu Vá", clique aqui.

Antes Que Eu Vá

Minha Classificação:
Antes Que Eu Vá goodreads
de
Publicação: em 2011
Gêneros: ,
ISBN: 9788580570595
Título Original: Before I Fall
Páginas: 368
Tradução: Rita Sussekind
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamericanasshoptimewalmartamazonbwbkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Sam é uma adolescente e faz parte do grupo das populares na escola. Um dia ela sofre um acidente grave e tem a chance de reviver o mesmo dia sete vezes e com isso rever o que podia ter feito diferente e, quem sabe, consertar as coisas.

“Se você repete bastante alguma coisa, quase consegue acreditar nela.”

Eu li essa história pela primeira vez em 2011, mas como o filme vai ser lançado no Brasil este mês resolvi reler porque já tinha esquecido praticamente tudo. Eu adorei o livro. Achei genial a forma como a Lauren Oliver deu vida a uma adolescente chata e a faz evoluir ao longo da história. É muito interessante acompanhar as idas e vindas de Sam enquanto ela vê o mesmo dia se repetir várias vezes.

“Tente não me julgar Lembre-se que somos iguais, eu e você. Também pensei que fosse viver para sempre.”

Apesar de essa coisa de “ficar preso num dia para consertar as coisas” não seja um conceito nada novo (que o digam Feitiço do tempo e Meia-Noite e Um) é inevitável torcer para que a protagonista consiga o que quer que seja que ela procure. O livro é narrado em primeira pessoa e algumas vezes a narradora se dirige diretamente ao leitor para questionar suas próprias atitudes. Será que o que ela faz é tão errado assim? Será que você nunca fez nada parecido? Ela mostra que é muito fácil julgar os outros, mas é difícil olhar para os próprios erros. Um dos temas centrais do livro é bullying, como é comum nesses casos, os populares costumam pegar no pé do resto da escola e aqui não é diferente. Vemos também a relação de Sam com a família, os amigos e os relacionamentos amorosos.

“(…) talvez você possa se dar o luxo de esperar. Talvez para você haja um amanhã. Talvez para você haja mil amanhãs, ou três mil, ou dez, tanto tempo que você pode se banhar nele, girar, deixar correr como moedas entre os seus dedos. Tanto tempo que você pode desperdiçar. Mas para alguns de nós só existe hoje. E a verdade é que nunca se sabe.”

Esse continua sendo um dos melhores livros que já li no gênero por se esforçar ao máximo para passar uma boa mensagem sem cair em clichês desnecessários. O final também foi uma agradável surpresa para mim justamente por ter feito uma coisa corajosa que nem todo autor consegue. Com a releitura fiquei ainda mais ansiosa pela adaptação e espero que não mudem muita coisa pois, para mim, Antes Que Eu Vá está perfeito assim. Vamos torcer.

The Best of Adam Sharp

por • 4677 Acessos

The Best of Adam Sharp

Minha Classificação:
The Best of Adam Sharp goodreads
de
Publicação: em 2017
Gêneros: ,
ISBN: 9781250130402
Título Original: The Best of Adam Sharp
Páginas: 352
Nível do idioma: Intermediário
Lançamento no Brasil: Sem Previsão
Compre em lojas confiáveis:
amazonkindle
A compra pode render comissão ao blog.

O livro é dividido em duas partes (passado e presente) então para ninguém dizer que estou dando spoilers, vou fazer um resumo baseado na sinopse oficial. Adam Sharp tem 50 anos, trabalha com TI e é pianista nas horas vagas. Há mais de duas décadas ele conheceu Angelina, uma atriz australiana, por quem se apaixonou perdidamente. Mesmo tantos anos depois ele ainda não consegue parar de pensar nela. Quando seu relacionamento atual já está por um fio ele recebe uma mensagem de Angelina e tem que decidir o que fazer.

“Minha vida emocional era toda sobre a Angelina, e tem sido por um tempo, certamente desde a ligação pelo Skype, e sem dúvidas desde que eu ouço músicas pensando nela. Eu estava decepcionando Claire e eu mesmo ao deixar este relacionamento continuar.”

Eu sou facilmente seduzida por sinopses, essa então com um título que me lembra música e um pianista, não poderia ter passado batido pela minha vida. O coração apaixonado por Alta Fidelidade chega a bater mais rápido nessa hora. Apesar de eu não ter sido muito feliz com O Projeto Rosie, o primeiro livro que li do autor, resolvi dar uma chance a The Best of Adam Sharp só por esses motivos. E, sem surpresa nenhuma, eu não fui feliz de novo.

A história em si não é de todo ruim, mas teve uma falha enorme pra mim: pessoas que se amam porque sim. O tempo todo o autor enfatiza como o Adam ainda ama a Angelina e passa metade do livro mostrando o relacionamento deles de 20 e tantos anos atrás e realmente foram dois personagens que se divertiram muito juntos. Mas eles se amaram por que mesmo? Em uma história onde o amor entre duas pessoas é o tema maior, eu preciso saber o que essas pessoas tem de tão especial uma para a outra para entender e até torcer por elas. De amor infinito gratuito já basta os livros do Nicholas Sparks.

O propósito da história, que é resolver um amor mal resolvido, é válido e eu gostei muito, apesar da solução também ter sido simples e sem conflitos. Realmente não dava pra esperar muito dado o problema que eu citei no parágrafo anterior.

“O que estava faltando na minha vida? O que estava me prendendo?”

Como ponto positivo eu aponto apenas a trilha sonora recomendada pelo autor para ser ouvida durante a leitura. Os personagens mencionam diversas músicas da playlist (que está disponível no Spotify e no Deezer) que está recheada de músicas boas que vão de The Beatles a Cher. A lista das músicas pode ser encontrada aqui.

Eu percebo que falei mais mal do que bem do livro e mesmo assim dei 3 estrelas para ele, mas foi uma pela capa, uma pela trilha e outra pela ideia. Eu realmente queria muito ter gostado, os elementos necessários estavam todos lá, mas infelizmente a criação dos personagens e desenvolvimento da história passaram muito longe de algo que pudesse realmente me agradar.

Tony & Susan

por • 5049 Acessos

Para conferir a resenha da adaptação "Animais Noturnos", clique aqui.

Tony & Susan

Minha Classificação:
Tony & Susan goodreads
de
Publicação: em 2011
Gêneros: ,
ISBN: 9788580570663
Título Original: Tony and Susan
Páginas: 336
Tradução: Rubens Figueiredo
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Susan e Edward se divorciaram há mais de 20 anos e durante esse tempo, ambos se casaram com outras pessoas e perderam o contato um com outro. Mas numa noite, sem aviso, Susan recebe um pacote de Edward com um livro que ele escreveu e gostaria que ela lesse para oferecer uma opinião sincera. Após pensar muito, Susan decide mergulhar em “Animais Noturnos”, a história de Tony.

“Susan não é capaz de dizer se o que reflete ali é uma tristeza que a imaginação dela mesma ajudou a formar, ou se, ao contrário emite uma tristeza própria.”

Eu decidi ler esse livro porque o filme com o crush Jake Gyllenhaal baseado nele estava prestes a estrear e eu queria conhecer a história escrita antes de ver sua adaptação. Esta ficção foi vendida como sendo sobre vingança dentre outras coisas (veja na página oficial no site da editora) e talvez eu seja muito ruim em interpretar simbolismos, mas não enxerguei o livro dessa forma. Tony & Susan por si só não é difícil de entender, é basicamente um livro dentro de um livro. Ao mesmo tempo que conhecemos a história de Susan tanto com Edward quanto com seu atual marido, acompanhamos em “Animais Noturnos” a violenta história sobre como Tony perdeu sua família. A conexão entre as duas histórias é bem sutil e eu ficaria mais convencida se tivessem me dito que em vez de vingança, Tony & Susan falava sobre as duas versões de uma mesma verdade porque foi assim que compreendi tudo o que aconteceu.

“(…) ninguém escreve sobre outra coisa senão sobre si mesmo.”

Durante todo o livro Susan não faz nada além de ler “Animais Noturnos” e pensar no seu passado, ela não interage de verdade com nenhum outro personagem e talvez por não saber exatamente como ela estava se sentindo, não sei como a história mexeu com ela além de um básico “gostei” ou “não gostei” que foi o mais perto que ela chegou de demonstrar qualquer emoção. No entanto, o que acontece com Tony é bem interessante e durante as primeiras páginas eu fiquei tensa o tempo inteiro querendo saber o que aconteceria a seguir. Com o passar das páginas os acontecimentos foram ficando desinteressantes e ao final eu só queria terminar, já não me importava mais com nenhum personagem ou acontecimento. Isso vale tanto para o livro dentro do livro como para Tony & Susan.

De forma geral esse não é um livro ruim, mesmo que eu não tenha “comprado” a proposta pela qual o livro foi vendido, não acho que a leitura tenha sido uma perda de tempo. Teve partes interessantes e sem dúvida me deixou tensa por um tempo, mas para mim vai ser lembrado como uma boa ideia mal aproveitada. A história inicial tinha muito potencial que não foi aproveitado durante as muitas páginas do livro. Espero que a adaptação tenha conseguido levar para as telas a emoção que Tony & Susan falhou em entregar.

0
comentário