Você está em: Início / Resenhas De Livros / Editora / Rocco

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada – Harry Potter 8 – Parte 1

por • 5499 Acessos

    Livros da série Harry Potter:

  1. Harry Potter e a Pedra Filosofal
  2. Harry Potter e a Câmara Secreta
  3. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
  4. Harry Potter e o Cálice de Fogo
  5. Harry Potter e a Ordem da Fênix
  6. Harry Potter e o Enigma do Príncipe
  7. Harry Potter e as Relíquias da Morte
  8. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Harry Potter e a Criança Amaldiçoada – Harry Potter 8 – Parte 1

Minha Classificação:
Harry Potter and the Cursed Child goodreads
de
Publicação: em 2016
Gênero:
ISBN: 9788532530431
Título Original: Harry Potter and the Cursed Child
Páginas: 352
Tradução: Anna Vicentini
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Esse post será dividido em duas partes a resenha de hoje e a resenha da Mayra, que irá dar a opinião dela sobre o livro nas próximas semanas. Assim que tiver link, será colocado aqui!

Alvo Severo, nós lhe demos o nome de dois diretores de Hogwarts. Um deles era da Sonserina e provavelmente foi o homem mais corajoso que já conheci.

Antes de começar a falar do livro vamos apenas relembrar alguns pontos: o livro é o roteiro da peça que está sendo encenada em Londres; a história é original da J.K. Rowling em parceria com Jonh Tiffany e o Jack Thorne que são os responsáveis pelo roteiro e produção da peça.

Iniciamos essa história no momento em que ela acaba em Harry Potter e as Relíquias da Morte, Harry está levando seus filhos para o Expresso de Hogwarts 19 anos depois da batalha entre ele e o Lorde das Trevas. Logo percebemos que Alvo não se sente confortável em ser um Potter, ele se incomoda com os olhares e com as expectativas que depositam nele. Na primeira viagem para escola ele fica amigo de Escórpio Malfoy, uma amizade que causará ainda mais comentários em torno dele. Escórpio também tem seu próprio legado para carregar, ele é uma Malfoy, filho de um ex Comensal e ainda precisa suportar um boato nada simpático sobre o seu nascimento. Em Alvo ele encontra alguém que o entende e que não dá a mínima para o passado das duas famílias.

Diferente dos livros da saga, os anos se passam rapidamente, praticamente em flashes, enquanto percebemos o laço de amizade entre Alvo e Escórpio ficar cada vez mais forte e o isolamento dos dois em relação aos outros alunos aumentar gradativamente. Nesse mesmo período, a relação de Alvo com o seu pai vai ficando cada vez pior. Harry que agora é um funcionário do alto escalão do Ministério da Magia tem se preocupado com algumas situações que podem sugerir um retorno de Voldemort e em meio a essa tensão não consegue lidar com o filho adolescente que refuta qualquer ligação com ele. É quando no terceiro ano dos garotos em Hogwats  surge uma oportunidade deles se colocarem a prova, mostrando que são muito mais do que um Potter e um Malfoy.

Harry: Por muito tempo pensei que eu não fosse um bom pai porque você não gostava de mim. Só agora percebo que não preciso que você goste de mim, preciso que me obedeça. Porque sou o seu pai e sei o que é melhor. Sinto muito, Alvo. Tem de ser assim.

Temos várias coisas acontecendo nessa história, o possível retorno de Voldemort, o boato que ronda o Escórpio e a relação ruim com seu pai, a péssima relação do Alvo com o Harry, a amizade entre o Alvo e o Escórpio e a aventura que eles resolvem viver juntos. Por ser um livro relativamente pequeno e em formato de roteiro ele acaba não dando conta de forma satisfatória de todos os conflitos apresentados, algumas soluções são obviamente colocadas de forma a resolver o problema da forma mais rápida possível, se tornando inclusive pouco plausível essa resolução dentro do próprio contexto da história. Provavelmente funciona melhor em formato de peça, as interpretações e o cenário podem dar a intensidade que, às vezes, falta no texto, o que não quer dizer que a história seja ruim.

Colocado isso, não acho que o livro seja uma Fanfic como algumas pessoas estão dizendo, penso que a J.K. Rowling jamais colocaria o seu nome no livro se a história original não fosse dela, mesmo que seja apenas no sentido de como ela imagina que esses personagens estariam, como a trama poderia ser movimentada e o quanto cada um deles foi afetado pelos acontecimentos passados. Não duvido nem por um minuto que ela estava sim envolvida com esse projeto do início ao fim, inclusive alguns diálogos, principalmente entre Harry, Hermione, Rony e Draco, fica claro a assinatura a autora. 

Eu vejo essa história como o fechamento de um ciclo, que revisita algumas cenas e personagens e acaba terminando da mesma forma que começou, encerrando a saga. Ele te deixa querendo mais, no sentido de que muitos personagens não aparecem e não são mencionados e você quer saber o que aconteceu com eles, você quer dar uma espiadinha nessa nova geração, que são muito pouco aproveitados. Temos poucos vislumbres do Tiago e da Lílian, irmãos do Alvo, e da Rosa e do Hugo filhos da Hermione e do Rony. A Rosa inclusive é muito parecida com a Hermione de onze anos, mandona e com uma certeza inabalável. E para cada semelhança ou extravagância cometida no roteiro, um sorriso vem aos lábios porque a sensação de nostalgia, de poder ler uma história inédita de personagens queridos e ter a oportunidade de revistar esse mundo é muito bom, mesmo com os problemas, ainda assim vale a pena.

Rony: Eu só quero dizer…não sei muito a respeito disso, então não posso assumir responsabilidades…e tenho certeza de que meus filhos não têm nada a ver com isso…mas se este grupo está de pé aqui, eu também vou ficar.

O Rony e a Hermione são uma das melhores coisas que acontecem nesse livro, a interação entre os dois e as possíveis vidas que eles poderiam levar são sempre interessantes. A Hermione está particularmente incrível aqui e definitivamente possui os melhores diálogos. 

Animais Fantásticos e Onde Habitam – A Biblioteca de Hogwarts 3

por • 7724 Acessos

    Livros da série A Biblioteca de Hogwarts (spin-off de Harry Potter):

  1. Os Contos de Beedle, O Bardo
  2. Quadribol Através Dos Séculos
  3. Animais Fantásticos e Onde Habitam

Para conferir a resenha da adaptação "Animais Fantásticos e Onde Habitam", clique aqui.

Animais Fantásticos e Onde Habitam – A Biblioteca de Hogwarts 3

Minha Classificação:
Fantastic Beasts and Where to Find Them goodreads
de ,
Publicação: em 2001
Gênero:
ISBN: 8532513298
Título Original: Fantastic Beasts and Where to Find Them
Páginas: 64
Tradução: Lia Wyler
Compre em lojas confiáveis:
saraivaculturasubmarinoamazonkindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Animais Fantásticos e Onde Habitam é um livro usado pelos alunos de Hogwarts na matéria Trato de Criaturas Mágicas, onde Newt Scamander (J. K. Rowling, no caso) relaciona animais fantásticos e suas principais características e habitats, além de explicar um pouco das relações deles no mundo bruxo e também no mundo trouxa. O exemplar que está a venda para nós trouxas, pertenceu a Harry Potter

[…] Gostaria, ainda, de aproveitar a oportunidade para tranquilizar os leitores trouxas que as criaturas engraçadas aqui descritas são fictícias e não podem lhes fazer mal. Aos bruxos, eu digo simplesmente: Draco dormiens nunquam titillandus. (Albus Dumbledore) Pág. 8

Como o livro é mega pequeno (63 páginas), a resenha não vai ficar muito grande. O prefácio foi escrito por ninguém menos que Dumbledore (todos choram), e contém uns textos explicativos historicamente embasados sobre como os “animais” foram catalogados pelos bruxos, diferencia esses “animais” dos “seres” que realmente participam ativamente nas decisões do mundo bruxo e explica um pouco de como os bruxos fazem para manter esses animais em segredo, já que os trouxas não podem saber da existência deles – e se sabem, serem desacreditados. Depois disso, vêm a classificação de perigo segundo o Ministério da Magia (XXXXX para o mais perigoso/não domesticável até X para o mais entediante) e a relação dos animais. Lemos sobre criaturas que aparecem nos livros de Harry Potter (como o rabo-córneo húngaro) e umas que nem tanto, mas são muito engraçadas e curiosas mesmo assim.

É uma leitura rápida, porém divertidíssima não só porque os animais são realmente fantásticos, mas também porque o livro tem anotações, feitas pelo golden trio Harry, Hermione e Rony, logo na primeira página e ao longo do livro – acho que quem mais escreveu foi Rony, e logo vemos isso pela parte da acromântula, que tem não 5, mas 14 Xs de periculosidade, e pelos rabiscos de Chudley Cannons em várias páginas. Eu amei esse detalhe, já que adicionou um ar mais informal ao livro e também porque o Rony (junto da Hermione) é o meu personagem favorito da saga. Como todo fã de Harry Potter que nem eu sabe, Animais Fantásticos e Onde Habitam virou filme spin-off da saga original e vai para os cinemas em novembro (assista ao trailer legendado aqui), então poderemos ter um pouquinho mais do universo mágico conosco. Ah, e pra quem ainda não sabe, Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, oitavo (e último, infelizmente) livro de Harry Potter, que virou uma peça no Reino Unido, vai sair pela editora Rocco dia 31 de outubro desse ano, mas a pré-venda já começa dia 16 de agosto! Quem estou muito ansiosa?

O Bicho-da-Seda – Cormoran Strike 2

por • 8230 Acessos

    Livros da série Cormoran Strike:

  1. O Chamado do Cuco
  2. O Bicho-da-Seda
  3. Vocação para o Mal
  4. Livro 4 (sem título)
O Bicho-da-Seda – Cormoran Strike 2

Minha Classificação:
The Silkworm goodreads
de ,
Publicação: em 2014
Gênero:
ISBN: 9788532529589
Título Original: The Silkworm
Páginas: 464
Tradução: Ryta Vinagre
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Esse é o segundo livro de romance policial escrito pela J.K Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraith, para entender toda a história você pode ler a resenha do primeiro livro aqui.

No que eu fui me meter?, perguntou-se Strike com irritação, olhando fixamente o bilhete.

Após alcançar uma considerável fama com o último caso, Cormoran passa a ser mais procurado e os negócios começam a melhorar. A relação entre ele e Robin também está mais madura, já que ambos estão construindo um relacionamento de confiança e parceria. Nesse livro, Strike é procurado pela esposa de um excêntrico escritor, que está sumido há algum tempo.

Acostumada a passar por essas situações com o marido, Leonora Quine não está muito preocupada com o sumiço do marido, é mais como uma irritação por estar precisando dele e não encontrá-lo. Porém, quando Strike tenta encontrar o escritor, se depara com uma cena de crime monstruosa, encontrando Owen Quine morto numa imitação grotesca de uma cena do seu último romance ainda não lançado, Bombyx Mori, título em Latim que significa bicho-da-seda.

O romance de Quine é uma crítica visceral ao mercado editorial, com personagens retratando as pessoas do meio editorial e pessoas que faziam parte da sua vida, expondo segredos e apontando o dedo para vários nomes conhecidos do mercado. Ao descobrir o número de pessoas que teve acesso ao manuscrito, Strike vai tentar descobrir quem são essas pessoas no livro e se de fato elas matariam por ele.

Eu tenho alguns problemas com esse livro, a narrativa foi lenta e parece que demos várias voltas para chegar no mesmo lugar. Mas o maior problema, na minha opinião, é o noivo da Robin, o Matthew, e as cenas como essa abaixo que se repetem por toda história.

As sequelas da briga dos dois sobre a decisão dela de levar Strike a Devon grudavam nela como fumaça. A discussão ferveu e explodiu repetidamente por toda a viagem de carro de volta a Clapham; os olhos dela ainda estava inchados de chorar e da falta sono.

A maioria das brigas da Robin com o Matthew são sobre o serviço dela e como ele pensa que ela poderia estar sendo melhor aproveitada e remunerada em outro lugar, além de sentir ciúmes do Strike. E acho isso irritante, pois parece que o autor está tentando construir um romance entre a Robin e o Strike. Sim, é usado vários recursos em que os personagens renegam qualquer possível envolvimento amoroso, mas ainda assim, eu sinto que o ~espetáculo ~ está sendo armado. 

Principalmente pelo Matthew sendo retratado como um babaca, quase nenhuma discussão dos dois é narrada ~ao vivo~, preferindo na maioria das vezes narrar apenas a lembrança da briga como no quote acima. Quase sempre a Robin aponta algum ~defeito~ do Matthew quando está pensado no relacionamento dos dois, e você fica apenas pensando que já que o relacionamento está ruim, acaba logo com isso. 

Nos romances policias a força está nos personagens, a Robin é forte e decidida e luta o livro inteiro para provar que merece estar onde está e quer continuar ali, e o Matthew parece ser só um ponto para atrapalhar a personagem na sua linha de evolução. Espero que isso mude nos próximos livros, e que o personagem seja melhor explorado ou que saia de cena, pois é como se ele estivesse presente apenas para impedir e mais tarde empurrar a Robin para o Strike.

Apesar de não ser difícil adivinhar quem é o assassino, dessa vez somos confrontados com mais suspeitos plausíveis do que no primeiro livro e tirando a enrolação do meio, foi uma boa história, acredito inclusive que a J.K Rowling se divertiu escrevendo, principalmente pelas críticas ao mercado editorial. Merecia 3,5 estrelas, mas no arredondamento ficou com 4 ;)