Você está em: Início / Author / Camila

Camila

Camila   

Viciada em livros, totalmente apaixonada pelo o que lê... eternamente apaixonada por Harry Potter e livros de fantasia, cursando jornalismo, Corintiana, escorpiana, meio nerd e meio louca!!!


Hello, my twenties

por • 2569 Acessos

Hello, my twenties

Minha Classificação:
Age of Youth - 2016 IMDb
Status: 1 temporada (finalizada)
Episódios vistos: 11
Elenco: Ye-ri Han, Seung-Yeon Han, Eun-bin Park, Park Hye-soo
Gênero: Drama, Comédia
Canal Original: Joongang Tongyang Broadcasting Company
Duração do Episódio: 60 minutos

Hello, my twenties ou Age of Youth como também é conhecido, é um dorama que acompanha a vida de cinco estudantes universitárias vivendo na república Belle Epoque. Yoo Eu-Jae, 20 anos, está vindo morar na cidade para cursar psicologia, ela é extramente tímida e não consegue falar para os outros o que a incomoda, sua adaptação na casa acaba sendo muito angustiante até ela conseguir colocar para fora tudo seus sentimentos. Yoon Jin-Myung é a mais velha, 28 anos, e está terminando de cursar administração, extremamente fechada e focada, trabalha em dois empregos para se sustentar. Jung Ye-Eun, 22 anos, cursa nutrição e se esforça para sempre estar bonita e agradar o namorado. Kang Yi-Na, 24 anos, vem de uma família com dinheiro, por isso possui roupas e acessórios caros e não se preocupa com emprego ou com a faculdade e Song Ji-Won, 22 anos, cursa jornalismo e seu sonho é perder a virgindade, frequenta vários encontros às cegas que sempre terminam em amizade.

Após uma noite regada a cerveja para relaxarem, Song conta as garotas que pode ver fantasmas e que um está vivendo na casa com elas, o que acaba trazendo vários sentimentos à tona. Todas ficam imediatamente apreensivas e deixam transparecer que cada uma possui seu próprio fantasma e no decorrer dos episódios vamos ver o desenrolar desses segredos. É difícil achar séries cujo tema principal seja a amizade entre mulheres e Hello, my twenties acaba por se destacar nesse sentido e aborda temas como relacionamento abusivo, prostituição, assédio no trabalho, inveja, famílias disfuncionais e a importância de ter amigos do seu lado nos momentos difíceis. 

Da esquerda para direita: Yoo Eu-Jae, Jung Ye-Eun, Kang Yi-Na, Song Ji-Won e Yoon Jin-Myung

A única que não tem um passado misterioso/assombrado é a Song e por isso ela vive procurando problemas e acaba levando as garotas com ela, melhor personagem do dorama. Enquanto isso as outras tentam resolver seus problemas sozinhas, mas percebem que com ajuda das amigas é muito mais fácil. Um dos problemas da série é que apesar de mostrar um relacionamento abusivo e como é difícil para a vítima se desvencilhar do agressor, um outro relacionamento, que na minha opinião também é abusivo só que em menor medida do que o primeiro, é retratado como um relacionamento legal e fofo. A super proteção e invasão do espaço pessoal e de decisão da outra pessoa também é abusivo, mas acaba sendo retratado como normal ou até mesmo desejável hello, Edward. 

 

Se você nunca viu um dorama essa é uma ótima oportunidade de começar, sério, assim que você começa assistir não consegue mais parar e todos os episódios estão disponíveis na Netflix. Tem algo de vicioso neles. Apesar de ter assistido, até então, apenas doramas colegiais em que questões da sexualidade feminina é reprimida e a timidez e falta de jeito com o sexo oposto é algo amplamente retratado, nesse caso a sexualidade é debatida mais abertamente e apenas a Yoo Eu-Jae que acaba sendo retratada como a garota tímida que foge de um beijo, consensual, e fica constrangida quando falam de sexo perto dela. Apesar de não ter sido anunciado uma segunda temporada, estou torcendo muito por isso, principalmente porque o final ficou em aberto e acredito que ainda tem  história para contar dessas personagens. Deixo vocês com a Song ensinado a Eu-Jae dançar, afinal de contas, jornalistas são as melhores pessoas.

 

      
Resenhas de séries
0
comentário

Logan

por • 3156 Acessos

Logan

Minha Classificação:
Logan IMDb
de James Mangold
Estreia no Brasil: 03 Mar 2017
País: USA
Gênero: Ação, Drama, Sci-Fi
Roteiro: James Mangold (história by), Scott Frank (roteiro), James Mangold (roteiro), Michael Green (roteiro)
Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Dafne Keen, Boyd Holbrook
Duração: 135 min

Logan marca o final da trajetória de Hugh Jackman como Wolverine e fecha um ciclo na sua carreira e na vida do personagem. Após inúmeros filmes representando o mutante chegou a hora de colocar um ponto final nessa jornada. O ano é 2029, os mutantes foram quase todos erradicados, Logan está abatido e debilitado e atualmente ganha a vida dirigindo para um aplicativo. Seu objetivo é comprar um barco e passar seus dias em alto mar, junto com o professor Xavier que tem uma doença degenerativa e crises que podem matar pessoas a sua volta. Porém mais uma vez problemas batem a sua porta. Uma mexicana, Gabriela, o procura para que ele a ajude salvar Laura, uma garota estranha que não fala e que tem toda uma organização atrás dela. Mais uma vez Logan se esquiva, reforçando que ele nunca quis ser um herói, nunca quis assumir nenhum tipo de tutela ou responsabilidade pelos demais. E mais uma vez ele fracassa em dizer não e acaba topando levar mãe e filha até o local desejado e é nesse momento que tudo começa as coisas pioram de vez.

Diferente dos filmes de super heróis que estamos acostumados a ver Logan é cru, visceral e selvagem assim como seus personagens, a violência extrema e o uso de palavrões cabem como uma luva no desenrolar da história e entrega o melhor filme solo do Wolverine. A batalha dos mutantes sempre me pareceu bastante simbólica por não ser contra um grande vilão, em sua essência, mas sim contra a humanidade, é uma batalha por ser diferente e pelo direito de existir. Assim, novamente eles precisam lutar para sobreviver e é uma luta dura, o cansaço do Wolverine é muito latente durante todo o longa, ele quer descansar e esse descanso é a morte, mas antes ele precisa cuidar dos poucos que ainda estão sob seus cuidados e sua luta para conseguir seguir em frente é árdua e dolorosa, nunca um herói foi tão impotente em sua caminhada e tão desejoso de chegar ao fim.

O que é diferente precisa ser controlado ou eliminado e Laura aprende essa dinâmica muito cedo, sua forma de se defender desse sistema é atacar, sem piedade, e começa a traçar para si o mesmo caminho que o Logan. Ver os dois juntos é muito importante e significativo para a história pois demonstra o começo e o fim do que pode ser uma mesma vida, no sentido da Laura ser um segundo Wolverine, logo um dos melhores diálogos é quando Logan pede para Laura não ser aquilo que a criaram para ser e isso traz toda a responsabilidade de suas escolhas e o peso de ser o último sobrevivente. Logan é o melhor filme do Wolverine e por isso espero que Jackman não volte as telas como esse personagem e deixe que de fato esse seja o último filme do mutante. 

      
Sessão de Cinema
0
comentário

Top 3 – Séries que estou obcecada

por • 4546 Acessos

Ultimamente tenho gastado bastante tempo com séries e sempre gostei de assistir várias coisas ao mesmo tempo, porém nas últimas semanas estou obcecada com algumas e só consigo assistir, pensar e falar sobre elas. 

Grey’s Anatomy

Desde que li o livro da Shonda Rhimes, O Ano em que disse Sim,  e sua relação passional com a personagem Cristina Yang de Grey’s Anatomy a série não me saía da cabeça. Já acompanhava Scandal e How To Get Away With Murder, só Grey’s que tinha visto alguns episódios esporádicos na tv. Decidida a mudar isso comecei a assistir a série na Netflix e estou obcecada, não se passa um dia em que eu não veja pelo menos um episódio. Vou chover no molhado? Vou! A relação da Meredith e da Cristina é incrível e realmente umas das melhores coisas da série, mas a relação entre os internos também é intensa, alternando momentos de competição e cooperação entre eles. Além disso ainda preciso citar duas personagens incríveis que é a Miranda, O Nazista, que é a residente responsável pelos internos do grupo que acompanhamos, ela é uma força da natureza e faz toda diferença para vida dos internos e a Addison que entra na série para atrapalhar o casal principal e se torna uma personagem acima disso, suas qualidades e seus defeitos são explorados, dando tridimensionalidade a ela, possibilitando a exploração de outras facetas da personagem e não ser só o empecilho. Atualmente estou terminando a terceira temporada e amando cada momento.

Riverdale

Inspirada na série de quadrinhos Archie Comics, Riverdale é a mais nova série adolescente. Após a morte de Jason Blossom em um passeio de barco, com sua irmã gêmea Cheryl, vários segredos começam a ser desenterrados na cidade e conforme as investigações da morte avançam a lista de suspeitos cresce. Narrada pelo Jughead que aspira escrever um romance sobre o acontecimento, todo episódio é aberto com suas considerações e ele sempre está um passo na frente dos outros. Também temos um relacionamento interessante entre Beth e Verônica que poderiam competir pela atenção do Archie, mas esse plot logo é descartado e o foco fica por conta da amizade entre as duas. Assim como toda série adolescente temos a maldade espalhada no ar, garotos idiotas e garotas maldosas, mas no fim dá tudo certo. A fotografia da série está impressionante e chama atenção desde o primeiro episódio.

Descendants of the Sun

Essa foi a última série que eu vi e ainda estou obcecada por ela, por isso logo terá resenha por aqui. É sobre a relação entre Yoo Si-jin capitão das forças especiais do exército da Coréia e Kang Mo-yeon uma cirurgiã que almeja crescer na carreira. Após se conhecerem de forma inusitada e decidirem começar uma relação, eles precisam enfrentar as diferenças entre suas carreiras e modo de vida. As missões de Yoo são sempre secretas e por vezes ele deixa a Kang sozinha para atender os chamados, cansada dessa situação e após mais uma vez perder o cargo de professora no hospital em que trabalha ela decide colocar um fim na relação dos dois. Porém, eles acabam se reencontrando na Grécia, local em que Yoo está com o exército e Kang é enviada para fazer voluntariado após negar os avanços do presidente do hospital. Com cenários belíssimos a história dos dois vai crescendo enquanto acontece epidemias, terremotos e decisões que influenciam na diplomacia entre os países. Além disso a série também conta com ótimos personagens secundários, engraçados e que possuem desenvolvimento próprio dentro do enredo. Um dos melhores doramas que já assisti.

      
Top Séries
0
comentário
Estante Lotada © 2010-2017 Layout: design e programação por Cibele Ramos

    
Nos mudamos de www.euleioeuconto.com para www.estantelotada.com.br, por favor atualize seus feeds & links!