Travelers – 1° Temporada

por • 5134 Acessos

Travelers – 1° Temporada

Minha Classificação:
Travelers - 2016 The Movie DB
de Brad Wright
Status: 1 temporada (renovada)
Episódios vistos: 11
Elenco: Eric McCormack, MacKenzie Porter, Nesta Cooper, Jared Abrahamson
Gênero: Drama, Ficção científica, Fantasia
Canal Original: Showcase, Netflix
Duração do Episódio: 45 minutos

Em um futuro distópico o mundo deu errado, o que ninguém duvida que será verdade dado o panorama atual, e uma estrutura é montada para fazer com que algumas pessoas voltem no tempo e rearranjem acontecimentos para que o futuro não seja uma catástrofe. Essas pessoas são conhecidas como viajantes, elas fazem transferência de consciência para hospedeiros que estão para morrer, como uma maneira de afetar o mínimo possível os acontecimentos. Além disso, algumas regras devem ser seguidas: eles não podem entrar em contato com outras equipes de viajantes, eles precisam manter a vida cotidiana do hospedeiro e não podem interferir em nada se não for uma missão.

As equipes são formadas por cinco pessoas com habilidades específicas: medicina, memória, tecnologia, combate e liderança. A comunicação com o futuro é feita pela Deep Web e eles acatam ordens de alguém que eles chamam de Diretor, que é quem passa as missões e faz os cálculos do que precisa ser feito para alterar o futuro sem danos colaterais. E para mensagens urgentes é enviado crianças ou adolescentes para dar o recado, que são os únicos capazes de ter a mente tomada por algum viajante temporariamente sem avarias ao cérebro. Essas transferências só podem acontecer para o século XXI, já que eles precisam ter a morte gravada, com o maior número de dados possíveis para fazer a transferência na hora certa e é a tecnologia do século XXI que permite que isso aconteça. Como ao tomar o corpo do hospedeiro eles não retém as lembranças daquela vida, eles se baseiam pelas redes sociais para saber quem são e quais relações eles mantém.

Dado esse contexto começamos a ver os hospedeiros sendo tomados pelos viajantes no primeiro episódio e entendemos a dificuldade de seguir as regras. Philip iria morrer de overdose, seu viajante chegou antes disso, mas presenciou a morte do colega de quarto que estava junto com o hospedeiro e foi acusado de não ter prestado socorro a vítima. Marcy é uma garota com deficiência mental, sua fala e coordenação motora é prejudicada por isso, a viajante chega quando ela seria espancada por delinquentes. Trevor é um adolescente típico americano, meio babaca, que iria morrer em luta de boxe, seu viajante se rende antes disso acontecer. Carly é mãe de um bebê e sofre com um relacionamento abusivo com um policial, ela seria morta vítima de violência doméstica se a sua viajante não tivesse assumido o controle e colocado o cara para correr. E por último, Grant é um policial do FBI que interceptou mensagens da Deep Web e pensa que os viajantes são terroristas, ao ir no local de encontro deles ele cairia em um poço de elevador, o viajante, que é o líder do grupo, toma o hospedeiro antes disso acontecer.

Marcy, Philip, Grant, Carly e Trevor

Citei o momento da morte de cada um dos hospedeiros e um pouco da sua vida pregressa pois a série vai abordar muito bem esse peso que os protagonistas precisam carregar. As missões são prioridade, mas eles têm empregos, mulheres, filhos, pais, escola e vários aspectos da vida prática que precisa ser conciliado. No caso da Marcy o problema é maior, porque a viajante fala e se porta como alguém que não tem uma doença mental e como explicar isso para o seu assistente social? –  Então, esses dilemas da vida acabam se entrelaçando com as missões e deixando os personagens mais complexos, principalmente quando eles passam a se importar com as pessoas que estão ao redor deles. E também vão enfrentar os dilemas morais de saber o futuro e não ter autorização de mudá-lo, esse é um enorme fardo, principalmente para o Philip que é o memorizador da equipe.

Nunca fui muito fã de ficção científica e de viagens no tempo, dado a complexidade do assunto e seus desdobramentos, isso tem mudado ultimamente, mas nesse caso ainda senti que as coisas não se encaixam muito bem. Faz parte da proposta da série não dar muitas respostas, como os personagens seguem ordens e nem sempre sabem como aquilo vai afetar a linha do tempo também ficamos sem essas informações. Só que tem algumas coisas que são mal explicadas, por exemplo, como eles conseguem trazer tecnologia do futuro para o mundo atual? – Em nenhum momento é explicado. As mentes são transferidas, não tem nada de físico sendo transportado para cá, então não vejo uma explicação válida para o equipamento. Espero que a segunda temporada contenha mais respostas sobre o futuro, sobre o diretor e sobre a dinâmica de viagens temporais, mas recomendo a série e garanto que o apego emocional com os personagens acontece muito rápido.  

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você viu essa série? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas

0
comentário



Deixe um comentário

*