A Bruxa de Near

por • 6186 Acessos

A Bruxa de Near

Minha Classificação:
A Bruxa de Near (Bruxa de Near #1) goodreads
de
Publicação: em 2013
Gênero:
ISBN: 9788542201673
Título Original: The Near Witch
Páginas: 240
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Near é uma pequena vila que acabou fechada em si mesma após os acontecimentos com a Bruxa de Near. Os moradores vivem sob a supervisão dos três mestres da cidade, um posto que é passado de geração a geração. Eles guardam as histórias e vigiam para que os eventos com a Bruxa não se repitam. O resultado é um isolamento do resto de mundo e um conjunto de normas a serem cumpridas e respeitadas pelos moradores. Lexi é uma garota de 16 anos que perdeu seu pai e está na idade de casar. Sua mãe já não é mais a mesma mulher desde a morte do pai, e quem determina o que deve ser feito na sua casa é seu tio, Otto, o homem da família. Lexi também tem uma irmã caçula, Wren, de cinco anos.

Ela era muito velha e muito jovem, dependendo de como virava a cabeça, pois ninguém sabe a idade das bruxas. Os riachos do páramo eram seu sangue e o mato a sua pele. Seu sorriso era doce e duro ao mesmo tempo, como a lua na noite escura…

Em uma noite um estranho é avistado nas redondezas gerando um enorme rebuliço na cidade, na noite seguinte uma criança some da sua cama no sem deixar vestígios. É então que Otto, o protetor da vila, junta alguns homens e saem em busca da criança desaparecida com a certeza que o estranho é culpado. Porém, não encontram nem a criança, nem o estranho e noite após noite uma criança some da sua cama.

E bem nesse momento o mundo fica negro e a música fica mais alta. Debaixo da melodia, eu ouço aquelas palavras. As que os adultos não ouvem e as crianças ouvem muito claramente, chamando-as para saírem de suas camas.

Lexi é impetuosa e quer traçar seu próprio caminho, seu pai a ensinou a caçar e fazer coisas que não são consideradas de ~menina~ e por isso ela enfrenta constantemente seu tio. Ela conhece o estranho e os dois se unem para encontrar a garota desaparecida, com uma pequena ajuda das duas outras bruxas da cidade, as irmãs Thorne, que vivem no limite entre a cidade e o páramo e são apenas  toleradas pelos moradores. 

A sensação que eu tive é que essa história é uma daquelas que se conta para as crianças dormirem, o foco está completamente na narradora, a Lexi, que é a única que tem um certo desenvolvimento. São tocados em vários assuntos de reflexão, de um jeito leve, como preconceito, tolerância, medo do desconhecido, submissão feminina e termina com uma leve lição de moral. Isso não é um problema, só que eu esperava mais, mais aprofundamento dos personagens e da história. História que segue um roteiro que se repete no livro todo com pequenas diferenças, entendo que como a história se passa numa vila, os espaços são reduzidos, porém acredito que a forma como foi executado acabou reforçando essa impressão de sempre acontecer a mesma coisa.

É um livro que eu teria aproveitado melhor se tivesse lido mais nova, agora ele já não funcionou tão bem para mim. Ele estava na minha estante desde o lançamento e fiquei feliz por finalmente ter lido. Quero ler mais coisas da Victoria Schwab para ter uma visão melhor da obra dela. 

A bruxa merecia respeito, na vida e na morte – diz Magda, tão baixinho que Dreska não deveria ter ouvido. Mesmo assim, as duas assentem uma ao lado da outra, as cabeças se mexendo a um ritmo levemente diferente. – Em vez disso, ela recebeu medo, depois fogo e assassinato.

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas




  • Gustavo Woltmann
    18/01/2017 # 02:20:25

    Legal mesmo! Mais um post super interessante! Realmente acredito que as pessoas sabem o que querem na vida e todas conhecem o seu potencial! Traçar objetivos na vida e não deixar de lado o Foco! Feliz 2017 a todos e todas! Me manda um email quando puder. Gostaria de conversar com você! Abraços!

    Responder

Deixe um comentário

*