Vocação Para o Mal – Cormoran Strike 3

por • 7768 Acessos

    Livros da série Cormoran Strike:

  1. O Chamado do Cuco
  2. O Bicho-da-Seda
  3. Vocação para o Mal
  4. Livro 4 (sem título)
Vocação Para o Mal – Cormoran Strike 3

Minha Classificação:
Vocação Para o Mal (Cormoran Strike, #3) goodreads
de
Publicação: em 2016
Gênero:
ISBN: 9788532530257
Título Original: Career of Evil
Páginas: 496
Tradução: Ryta Vinagre
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Este é o terceiro volume da série. Para ler as resenhas da Camila sobre os dois primeiros, clique aqui para O Chamado do Cuco e aqui para O Bicho-da-Seda.

Após os sucessos dos casos Lula Landry e Owen Quine, a agência de investigação particular do detetive Cormoran Strike vai bem. Até que um dia, sua secretária Robin recebe um pedaço de perna humana decepada pelo correio e então ela e o detetive começam a procurar o assassino, que pode ter relação com o passado obscuro de Strike.

– Você conhece quatro homens que te mandariam uma perna decepada? Quatro?     Pág. 25

Antes de começar a resenha propriamente dita, penso que preciso deixar as minhas breves opiniões sobre os dois primeiros livros aqui: O Chamado do Cuco é um ótimo livro introdutório, que nos emerge rapidamente no mundo de Cormoran e Robin, nem um pouco previsível, porém ainda deixando mistérios e ganchos necessários aos dois volumes subsequentes. O Bicho-da-Seda é um pouco mais sombrio (acho que a J. K. tem essa tendência nas séries de livros dela, vide Harry Potter, que depois do quarto livro se torna bem lúgubre), também completamente imprevisível, embora siga a mesma linha de narrativa do primeiro. Os dois possuem personagens bem construídos e articulados, além de claro, envolverem o leitor até o pescoço no problema apresentado pela história e também nas cabeças de Cormoran e Robin. Confesso que li os livros tão rápido que alguns detalhes poderiam ter se embolado, mas são tão bem escritos que isso não aconteceu.

Vocação Para O Mal é de longe o livro mais sombrio da série, e já começa diferente: o primeiro capítulo é do assassino. Todos os capítulos dele são intitulados por uma música, e os capítulos normais são precedidos por letras de música de uma banda, a Blue Öyster Cult – o nome do livro em inglês é o título de uma música dessa mesma banda (ouça aqui)! Isso de cara já me deixou nervosa, pois ao longo do livro você acompanha o quão perto ou longe Strike e Robin estão de pegar o assassino, mesmo que já no começo da história o detetive tenha seus quatro suspeitos e a investigação gire em torno deles, existem momentos em que você tem certeza de que é um, mas o capítulo seguinte te deixa pensando que é outro. Outra surpresa boa é que esse volume traz o primeiro caso de serial killer, e não um assassinato isolado, o que dificulta mais ainda o caso.

Strike ficava cada vez mais taciturno, tinha uma expressão sinistra. Robin imaginou se era por conta da fome – ele era um homem que precisava de alimento para manter a serenidade – ou se era por algum motivo mais sombrio. Pág. 28

Nesse livro temos o desenvolvimento de uma relação mais íntima entre Strike e Robin (como não shippar?), além de termos um vislumbre bem maior da vida e do passado dos dois, principalmente do de Strike, sempre tão restrito quanto a isso. Para mim, além do assassinato em série de mulheres, o mais pesado desse livro é a parte da Robin, e lendo dá para sentir a angústia da personagem, sabendo pelo que ela passou. Esse livro deveria ter aviso de gatilho, seria muito útil. E além disso, temos também um enriquecimento muito grande nos personagens, que mesmo sendo adultos, têm uma maneira meio torta de lidar com as coisas, principalmente sentimentos, e claro, também acertam às vezes.

E, por uma fração de segundo, antes de fixar toda a sua atenção em Shanker, Strike imaginou-se esmurrando Matthew e gostando disso. Pág. 131

Assim como os dois volumes anteriores, Vocação Para O Mal é carregado de humor negro e piadinhas internas ótimas para aliviar o clima de tensão crescente abordado pela narrativa. E também trata de um tema pouco conhecido pelo público, o Transtorno de Identidade de Integridade Corporal (TIIC) e seus percalços. Para mim, um grande destaque foi Robin, que já vinha crescendo muito como personagem, e nesse livro tem um papel importantíssimo; senti que agora sim ela foi posta em pé de igualdade com Strike e que nesse terceiro volume eles dois foram consagrados como protagonistas – o que me deixou super feliz. O final do livro tem um gancho gigantesco para o próximo, e já estou aqui triste e cabisbaixa porque não há data de lançamento do quarto volume, mas pelo menos, li que a autora pretende publicar mais 5 livros da série, então o coração já esquenta sabendo que vai ter Cormoran Strike por um bom tempo.

Os direitos dos livros foram comprados pela BBC One e a série de TV, intitulada “Cormoran Strike“, está prevista para ter três episódios na primeira temporada. Tom Burke foi escolhido como Cormoran Strike e Holliday Grainger será Robin Ellacott; e eu não gostei muito da escolha do Tom Burke porque ele só é feio igual ao Strike, mas as características físicas não batem nem um pouco – características estas frisadas em todos os livros, quase o tempo todo -, já a Holliday é idêntica à Robin dos livros! A série já começou a ser filmada, inclusive já saiu foto de divulgação com os dois (abaixo). Realmente não sei bem o que esperar, estou claramente empolgada, mas minha esperança sempre fica em que não estraguem tudo…

Robin e Cormoran em frente ao Tottenham, pub favorito dele :)

 

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas




Deixe um comentário

*