Jessica Jones

por • 75477 Acessos

Jessica Jones

Minha Classificação:
Jessica Jones - 2015 The Movie DB
de Melissa Rosenberg
Status: 1 temporada (renovada)
Episódios vistos: 13
Elenco: Krysten Ritter, Rachael Taylor, Eka Darville, David Tennant
Gênero: Ficção científica, Fantasia, Drama
Canal Original: Netflix
Canal no Brasil: Netflix
Duração do Episódio: 52 minutos
Assistir Jessica Jones online: Netflix

Assim que o Netflix anunciou que faria uma série sobre Jessica Jones, uma “heroína” diferente e quase desconhecida por quem não lê quadrinhos com frequência, eu me empolguei e procurei saber mais. Então comecei a ler Alias antes da série ser disponibilizada no Netflix e só terminei na madrugada do dia 20, dia que a série estreou, então eu estava afiadíssima para assistir a série e posso dizer que não me decepcionei. (A resenha ficou um pouco grande, mas não desanime de ler não porque eu falo tanto da série como da história em quadrinhos!)

Jessica Jones é uma investigadora particular atormentada por seu passado. Ela também possui superforça, voa (“é mais uma queda controlada”), resistência física e mental e, ah, é uma exímia alcoólatra. Quando um antigo inimigo volta a atormentá-la e a  ameaçar todos a sua volta, Jessica é obrigada a agir como algo que ela não gosta de ser: uma heroína.

Eu não sou a heroína que você queria que eu fosse.

Como eu disse, antes de ver a série, eu li Alias, que é o quadrinho da personagem de Jessica. A HQ (História em Quadrinhos) é bem singular – assim como a heroína – e tem um humor negro contagiante e bem estruturado. As matizes de marrom, verde e roxo na coloração das revistas dão o tom obscuro à história, assim como refletem bastante o quão atormentada é a protagonista; nos quadrinhos Jessica é a ex super heroína Safira, que desistiu da profissão justamente porque Kilgrave, o Homem Púrpura, controlou-a de forma a fazer com que ela se destruísse e se indispusesse com Os Vingadores. Ela então encontra casos difíceis e bizarros com que lidar, e a HQ conta com participações especiais de Os Vingadores, os Novos Vingadores, da S.H.I.E.L.D. e, claro, do Demolidor; o que caracteriza Jessica como uma importante personagem do mundo Marvel.

Assim como na HQ, Jessica Jones é a dona e única funcionária da Alias Private Investigation, uma empresa em que ela é investigadora particular e se utiliza de sua inteligência e habilidades para resolver seus casos. Quando um casal vai a ela pedir que encontre sua filha Hope, Jessica descobre que quem está envolvido no desaparecimento da moça é Kilgrave, um super dotado que pode controlar o desejo das pessoas de acordo com seu bel prazer, e que já controlou Jessica também e, é claro, voltou por ela. Mas calma que as semelhanças da HQ para a série acabam por aqui.

Eu não sei fazer algo para te fazer sentir melhor, certo?

Eu não sei fazer algo para te fazer sentir melhor, certo?

O Netflix e a Marvel conseguiram adaptar Jessica Jones com uma história completamente diferente dos quadrinhos, e posso afirmar, fizeram muito bem. Não dá para parar de ver a série, cada episódio é muito bem amarrado e tem um roteiro bom, e no final sempre tem um bom gancho para o seguinte. Temos Jessica igualzinha à das HQs, com seu rosto atormentado, sua língua afiada e seu humor negro – com a mesma origem – e, nos primeiros episódios, a iluminação é feita de formajessicagif1 muito parecida com os tons obscuros da HQ, depois eles meio que descuidam disso, o que é bom e ruim: bom porque seria visualmente tosco e ruim porque perde um pouco a identidade da HQ, só que nada disso afeta muito o desenvolvimento e a qualidade da série. Também temos Luke Cage, que na série é o par romântico de Jessica (mas nos quadrinhos não foi tão incisivo, a não ser no final que blergh, odiei), que tem super força e pele impenetrável, além de claro, Kilgrave, o Homem Púrpura. Carol Denvers, melhor amiga de Jessica na HQ, na série é Trish, uma radialista e ex estrela mirim e que tem uma personalidade incrível – como todas as mulheres da série.

Posso dizer que o que eu mais gostei na série – além de Jessica, é claro – foi Kilgrave. Não no sentido de adorar o que ele fez com a Jessica e a Hope e com todo mundo, muito pelo contrário, NADA justifica as ações dele, mas ele é um vilão muito cativante. A história dele é diferente das HQs, claro, mas é muito bem bolada, muito bem escrita e kilgrave3altamente complexa – é inesperada. David Tennant arrasou na atuação de vilão, e há momentos em que você não consegue não se envolver com o charme dele e não tentar decifrar o que se passa naquela cabeça maligna. Eu me perguntei muito se a obsessão dele pela Jessica é realmente amor em algum nível,  já que ele tem essa história pesada e etc., além de claro, adorar a personalidade humorística (sim) porém brutal do personagem – percebam que em momento nenhum eu shipppei o casal, tá?! O nome “Homem Púrpura” de Kilgrave não é mencionado em momento nenhum durante a série, mas frisaram a identidade do personagem através das roupas dele, iguais às dos quadrinhos, em diferentes tons de púrpura. 

Enquanto eu estava no tumblr procurando gifs para pôr nesse post, vi uns comentários muito bons e refleti um pouco na verdade que eles continham: Kilgrave nada mais é que o exagero de todo homem privilegiado que existe. Infelizmente quase toda mulher já lidou com um homem que abusa do fato de ser homem e subjuga a mulher de alguma forma, o poder do homem é o seu poder e respaldo na sociedade. Isso faz com que Kilgrave seja um dos vilões mais medonhos que existam, inclusive no contexto da série de Jessica. Mas, claro, assim como na série, nós mulheres somos fortes e passamos por cima disso. Yeah!

kilgrave2

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você viu essa série? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
(4 votos, média: 5,00 de 5)




Trackbacks/Pingbacks

Deixe um comentário

*