A Garota no Trem

por • 28576 Acessos

Para conferir a resenha da adaptação "A Garota No Trem", clique aqui.

A Garota no Trem

Minha Classificação:
The Girl on the Train goodreads
de
Publicação: em 2016
Gêneros: ,
ISBN: 9780857522320
Páginas: 316
Tradução: Simone Campos
Compre em lojas confiáveis:
saraivaculturasubmarinoamazonbwbkindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

AVISO: As quotes que coloquei no post eu catei no Goodreads e traduzi porque esqueci de anotar enquanto lia.

A Garota no Trem conta a história de Rachel que todo dia pega o mesmo trem para Londres e observa as casas em uma estação sempre usando sua imaginação fértil para criar uma vida para seus moradores. Até que ela vê uma cena que destrói suas ilusões sobre o casal preferido e descobre que a mulher desapareceu no dia seguinte. Apesar de não ser uma testemunha confiável ela decide ajudar a polícia a investigar o caso.

“Dá uma sensação de conforto observar estranhos seguros em suas casas.”

Quando li a divulgação do livro só vi palavras que me interessavam como “um thriller digno de Hitchcock” e “para fãs de Gillian Flynn” e para me convencer mais só faltava ter meu nome na capa. Daí semana passada eu já fui pra casa decidida a ler esse livro, comprei o e-book e passei o sábado com ele.

“Eu perdi controle sobre tudo, até mesmo sobre coisas na minha cabeça.”

A Garota no Trem tinha potencial para ser incrível, tinha uma narradora alcoólatra que dizia ter imaginação fértil e não confiar em suas lembranças, mas a autora não usou essas características maravilhosas para nada além de atrasar o desenvolvimento da história. Sabe, ela podia ter feito a Rachel dar uma série de pistas falsas, nos fazer acreditar em A quando era B, mas não fez nada disso.

“Os buracos em sua vida são permanentes. Você tem que crescer ao redor deles, como as raízes das árvores em torno do concreto; você se molda através dos furos.”

O mistério em si é bem simples e a narração intercalada entre as três mulheres da história (entre elas a desaparecida) facilita a descobrir a verdade bem antes do final. Na maior parte do livro nada acontece e enquanto eu lia com a Mayra a gente ia comentando como já estava em x% e continuava um show de nada. A saber: as coisas começam a acontecer em torno de 75% do e-book, o que é página pra caramba.

Passando longe de ser tudo o que a propaganda promete, A Garota no Trem não me empolgou e acho difícil que eu volte a ler outra coisa da autora no futuro. Para mim ficou devendo muito como suspense e como thriller psicológico. O filme baseado no livro ainda está em desenvolvimento e a maravilhosa Emily Blunt está (estava?) em negociações para viver a protagonista. 

Trigger Warning com SPOILER: o Gaslighting rola solto no livro.

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
(4 votos, média: 4,75 de 5)

1
comentário



  • Carolina
    13/08/2015 # 12:10:56

    Achei a mesma coisa que você. Comprei este livro na pré venda, doida para ler. No começo achei a narrativa interessante, mas o livro começou a ficar maçante, não saia daquilo, nada de acontecer uma reviravolta. Quase desisti. Sem contar que nenhum personagem me agradou. :(

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  • Tag dos 50% | Estante Lotada
    30/09/2015 # 19:30:24

    […] MAYRA: A Garota no Trem de Paula Hawkins. Tinha todo aquele alvoroço em torno do livro e comecei a ler junto com a Cibele e nossa, que decepção. Eu nem terminei de ler, a Cibele me disse o final e eu só pensei “ainda bem que não perdi mais tempo lendo”. Tem resenha da Cibele aqui. […]

    Responder

  • Tua | Estante Lotada
    14/10/2015 # 19:00:51

    […] que vem na onda do “noir doméstico” (que inclui títulos como Garota Exemplar (!) e A Garota no Trem), Tua conta a história de Inés que está feliz com a rotina de seu casamento […]

    Responder

  • Os Melhores e Piores de 2015 | Estante Lotada
    04/01/2016 # 19:00:56

    […] A GAROTA NO TREM: Esse livro é todo fraco, até o plot principal dele é. Não existiu um segundo que eu não me obrigasse a ler esse livro, porque querer ler mesmo eu não queria. Os personagens são fracos e desde o começo eu já sabia quem tinha feito o quê, por isso nem terminei de ler e pedi pra Cibele me contar o final. […]

    Responder

Deixe um comentário

*