Invisível

por • 4819 Acessos

Invisível

Minha Classificação:
Invisível goodreads
de ,
Publicação: em 2014
Gêneros: ,
ISBN: 9788501403223
Título Original: Invisibility
Páginas: 322
Tradução: Ana Resende
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamericanasshoptimewalmartamazonbwbkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

Stephen (escrito pelo Levithan) é invisível. Ninguém nunca conseguiu vê-lo, nem mesmo seus pais. Com a morte da mãe, ele agora vive sozinho num apartamento em Nova Iorque. Já acostumado a ser desse jeito, ele se assusta quando a menina que se mudou para o apartamento ao lado consegue vê-lo. 

Elizabeth (escrita pela Andrea Cremer) consegue ver Stephen como vê qualquer outra pessoa, nada de especial. Só que ele é legal e está disposto a mostrar a cidade para ela, então por passarem muito tempo juntos, os dois acabam se apaixonando. Só que ao descobrir o que faz tão diferente, as coisas não serão tão fáceis quanto antes.

O livro é contado pelos pontos de vista alternados dos dois personagens principais.

“Nunca aceitei a ideia de destino ou sorte. O mundo sempre parecera volúvel e injusto demais para tais conceitos altivos. Mas se o destino era real, me levou a me apaixonar por um garoto invisível. E eu faria qualquer coisa para salvá-lo.”

Eu esperava nunca ter que dizer essas palavras, mas a verdade é: David Levithan, você me decepcionou. Não é que eu tenha achado que Will & Will foi grandes coisas, mas Invisível foi ainda mais difícil pra mim. Talvez nem tanto pelo livro em si, mas porque me venderam a ideia errada. O começo do livro dá a ideia de que esse vai ser como Todo Dia, um romance comum com um elemento sobrenatural. Mas em alguma parte do livro o “sou a única que vejo você, que legal” passou a ser “tenho super poderes e vou consertar você”. E, gente, apenas não. Daí pra frente foi ladeira abaixo. Um monte de personagem novo, umas reviravoltas loucas, umas cenas de ação vindas do nada.

Não acho que o livro tenha sido de todo ruim, mas é que ao pegar uma história do Levithan, eu espero uma coisa e Invisível foi outra. Não necessariamente ruim, apenas bem distante do que o autor costuma fazer. Tanto que em livros “normais” dele, eu marco tantas quotes que a lateral vira um festival de cores e desse eu marquei exatamente zero frases. Essa que coloquei aí em cima, veio de uma pesquisa do google.

Sobre a Andrea Cremer, esse foi o primeiro contato que tive com a escrita dela e foi bem neutro. Leria outro livro se me parecesse legal, mas se não acontecer não faço questão.

Para um livro comum, Invisível ganharia mais estrelas, mas pro meu querido, adorado, idolatrado Levithan, ficou devendo bastante.

O FILME: pouco depois de ser lançado nos EUA, o livro teve seus direitos comprados para o cinema, mas sem data definida pela estreia. 

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas




Deixe um comentário

*