Homens, Mulheres & Filhos

Por 7905 Acessos

Homens, Mulheres & Filhos

Minha Classificação:
Homens, Mulheres & Filhos goodreads
de
Publicação: em 2014
Gêneros: ,
ISBN: 9788501070692
Título Original: Men, women & children
Páginas: 351
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

[AVISO DE GATILHO] (Não sabe o que é isso? Clique aqui para saber)

SINOPSE OFICIAL:
Homens, mulheres & filhos é a melhor obra de ficção já escrita sobre a sexualidade de adolescentes e adultos em tempos de Internet. O autor cria uma rede de personagens que levam vidas comuns e aparentemente normais, mas, no fundo, repletas de neuroses, fraquezas, pudores, perversões, inseguranças, ingenuidades, e cujo comportamento é influenciado diretamente pela mídia e pelo mundo virtual. O filho obcecado por videogames, a adolescente com mania de magreza, a mãe superprotetora, a filha rebelde, o jovem deprimido, a esposa que não se sente mais desejada, o marido que foi abandonado pela mulher, o pai viciado em pornografia on-line neste livro fantástico existe um personagem para cada um de nós. Homens, mulheres & filhos abre uma janela para mostrar, de um jeito direto, honesto, às vezes trágico, algumas vezes cômico, como funciona a cultura emocionalmente traiçoeira em que vivemos. Um livro extremamente bem escrito que vai entreter o leitor e, ao mesmo tempo, fazê-lo pensar. Homens, mulheres & filhos foi adaptado para o cinema. O filme foi dirigido pelo aclamado Jason Reitman e estrelado por Adam Sandler, Jennifer Garner, Emma Thompson, Judy Greer e Ansel Elgort (o jovem ator que interpretou o personagem Gus no filme A culpa é das estrelas). Homens, mulheres & filhos é um retrato sem paralelo da política sexual na era das redes sociais. Ele me faz lembrar do primeiro contato que tive com filmes como A primeira noite de um homem e Beleza americana. Jason Reitman, diretor de Juno e Amor sem escalas. Este livro mostra a solidão em um mundo no qual mensagens de texto no Facebook e chats on-line são considerados formas íntimas de comunicação. (New York Times). Fonte.

Estava rolando o maior burburinho sobre o livro e o filme e como eu sou uma pessoa curiosa, decidi me arriscar. Não vi o filme, só o livro. Esqueça a parte de “melhor obra de ficção já escrita sobre a sexualidade de adolescentes e adultos em tempos de Internet” na sinopse e esqueça a parte de que isso é ficção também. Calma, vou explicar tudo.

O escritor quis mostrar a realidade nua e crua da sexualidade nesse século e na minha opinião, não passou bem essa mensagem. O livro já começa com uma cena sexual seguida de masturbação então não se espante. O começo é bem promissor. Somos apresentados aos personagens e no decorrer da história eles vão se conectando e tudo vai fazendo sentido. Eu não vou detalhar os personagens aqui para não acabar com a ~emoção~ de quem vai ler e nem pra acabar falando demais. O livro não tem personagens principais, não tem herói nem vilão (não tem personagens de destaque do “bem” e do “mal” mas eu duvido você conseguir aturar, engolir e não achar o Don um belo de um merda) e nem tem momentos bombásticos de cair o queixo. É como se estivéssemos invisíveis dentro do cotidiano de várias pessoas. 

O livro é extremamente explícito. As partes que contém sexo ou masturbação são beeeem detalhadas e o escritor é bem direto. Não é um livro para se deixar solto em casa onde seus parentes conservadores e/ou novos e/ou altamente impressionáveis geralmente circulam. 

O livro fica enfadonho por um simples motivo: todos os sentimentos são mútuos. Até quando são ruins. Se um cara fica a fim de outra mulher, ela também fica a fim dele. Se um quer transar, a outra quer. E por aí vai… Chad quis mostrar a realidade trabalhando com sentimentos que são correspondidos a maioria das vezes? Ok, não estou dizendo que não existem sentimentos correspondidos. O que eu estou dizendo é que o livro só “flui” e “dá certo” porque todos sentem a mesma coisa ao mesmo momento. Poucas vezes os sentimentos são diferentes e quando são, a história muda ou dá um jeito de apagá-los. 

O que eu amei no livro foi o fato de que ele traz à tona a misoginia, o racismo, os preconceitos, o sexting e todos os problemas que esse século tem (e alguns que são beeeeeeem antigos também). Melhor ainda, o livro fala dos trolls. O que são os trolls? Segundo um estudo:

“Os trolls operam como agentes do caos na internet, explorando assuntos quentes para fazer com que as pessoas pareçam emocionais ou bobas demais de alguma forma. Se uma vítima cai na armadilha, a trollagem intensifica-se para uma diversão ampliada e sem piedade. Por isso que usuários novatos na rede são sempre advertidos: ‘Não alimentem os trolls!'”, diz o artigo.

O livro mostra uma situação em que os trolls aparecem. Tim Mooney joga online e no chat do jogo, os caras adoram soltar frases carregadas de machismo, racismo e etc. O engraçado é que de acordo com que os comentários vão aparecendo, nós somos apresentados aos personagens por trás dos comentários e, olhe a surpresa, todos não passam de idiotas e não são NADA “corajosos” fora da tela do computador. Um  exemplo? Um cara tem que pedir permissão da noiva e quase chorar para conseguir jogar. 

Finalizando, o livro não tem um final conclusivo. A história termina abruptamente e nos deixa sem saber o que rolou e sem ideia do que vai rolar. E isso é bem ruim. De finais inconclusivos já basta Capitu (pra mim Capitu traiu, gente rs).

SPOILER Ah, se tudo não ficasse uma chatice, de bônus temos um estupro no fim do livro. Sim, aquilo é um estupro, amigxs. 

michael_scott

Esse aqui é o trailer do filme:

PS: Fiquei besta quando descobri que o Ansel Elgort interpretaria o Tim Mooney. Achei que ele faria o babaca do Danny Vance… E mesmo eu não tendo visto o filme, achei a escolha de elenco bem fiel aos personagens. Só não sei por que cargas d’água botaram o Adam Sandler (zzZZzzzZzzZ) no elenco mas a vida continua, né.

PPS: A diagramação, capa e a fonte são um show de bola. 


Você leu esse livro ? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
(1 votos, média: 4,00 de 5)




  • Daniella
    24/02/2015 # 20:25:09

    Eu assistir ao filme, mas pelo que li na sua resenha não aprofundou nem metade do conteúdo do livro. Mesmo assim eu gostei do filme, apesar de ser parado e de ter poucas falas. Depois de assistir fiquei com vontade de ler o livro porque justamente queria ter um melhor entendimento e um aprofundamento dos personagens.
    Mas já não sei se o lerei, pelo menos não no momento.
    Beijos.

    Responder

    • Victória Costa
      25/02/2015 # 19:53:50

      Oi, Daniella! Tudo bem?
      Não aassisti ao filme por falta de tempo mas pretendo ver porque achei a escolha do elenco muito fiel. O intuito da minha resenha nem era me aprofundar afinal, o livro não é tão profundo assim (eu sei que todos falam que é um livro ótimo e real mas real para quem? Depois que você problematiza, percebe que o livro se trata de pessoas de classe média alta e brancas. Não temos o ponto de vista de pessoas negras ou pobres. O homem negro aparece para satisfazer o desejo de uma personagem então não conta). E outra: será que daria para eu me aprofundar sem dar “spoiler”? Se eu falasse algo, acho que acabaria com a graça de quem vai ler rs. Deixa esse livro bah de lado e vem com a gente participar do Desafio! É mais legal hahaha

      Responder

  • Victória Costa
    25/02/2015 # 19:55:00

    Foi mal pelos erros ortográficos. É foda digitar dentro de um busão que corre como um louco em horário de pico hahah

    Responder

Deixe um comentário

*