Queer as Folk (US)

por • 3934 Acessos

Queer as Folk (US)

Minha Classificação:
Queer as Folk - 2000 The Movie DB
de Daniel Lipman
Status: 5 temporadas (finalizada)
Episódios vistos: 83
Elenco: Michelle Clunie, Thea Gill, Gale Harold, Randy Harrison
Gênero: Drama
Canal Original: Showtime
Canal no Brasil: Nenhum
Duração do Episódio: 45 minutos

Queer as Folk é uma série que eu seeeeeeempre ouvi o pessoal falar bem. Passei anos ouvindo/lendo as pessoas soltarem todos os elogios possíveis, mas acabei esquecendo dela. Recentemente quando vi uma pessoa relembrando no twitter foi que decidi colocar na minha lista de “urgências”.

No episódio piloto fiquei com o pé atrás pelo visual anos 90 (nada contra, só não tava a fim no momento), acabei desistindo de ver o resto e fui dormir, mas no dia seguinte não conseguia parar de pensar e percebi que já era, estava apaixonada por Queer as Folk. A versão original é do Reino Unido, mas eu assisti só a americana.

A série acompanha a história de uma comunidade gay e traz a absurda noção de que gays são pessoas, veja só. Eles tem os mesmos problemas dos héteros somados à homofobia. Os personagens principais são todos diferentes e apaixonantes. Tem desde o homossexual estereotipado que é escandaloso e usa roupas cobertas de purpurina passando pelo cara que não assume sua sexualidade no trabalho, até o profissional bem sucedido que é visto como hétero, mas grita aos quatro ventos que é gay se preciso for.

“A menos que seja o seu p* que eu estou chupando, não é da sua conta” – KINNEY, Brian

Os episódios não hesitam em te dar um monte de choques de realidade, lidar com tabus e falar de assuntos sérios e delicados da forma mais direta possível. Mais na primeira temporada que no resto, vemos muitas cenas de nudez e de sexo. Enquanto The L Word tem uma trama fantástica e personagens não muito agradáveis, Queer as Folk tem os melhores personagens do mundo. Assistia sem parar porque me preocupava com eles e queria tê-los por perto. E é claro que amo todos – TODOS –  mas o meu preferido sempre foi e sempre será Brian Kinney. Gale Harold (o ator) é bonitão, claro, mas ele como ele mesmo não tem a mesma graça que o cara gay fictício da minha vida. 

“Eu não quero ficar com alguém que sacrifica a própria vida pra ficar comigo… e chama isso de amor.” – KINNEY, Brian

E eu não podia deixar de mencionar o melhor casal da série: Brian (sim, ele de novo) e Justin. Não me lembro de já ter shippado um casal tanto quanto fiz com os dois.

A série é boa do começo ao fim e tem um dos melhores e mais coerentes finais que eu já vi. Com certeza se tornou uma das minhas preferidas que espero rever algum dia. Se estiver procurando uma série apaixonante e muito boa, fica a dica. De nada.

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você viu essa série? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
(5 votos, média: 4,80 de 5)

8
comentários



  • Stefani Goulart
    30/01/2014 # 19:35:03

    Olá Cibele!
    Então ultimamente estou numa baita vibe de assistir séries (sejam finalizadas ou não), acho que é o ritmo de férias… haha
    Gostei da premissa de Queer as folk. Nunca tinha ouvido falar da série e acredito que ela traga um assunto polêmico mas que merece muito destaque pra que se torno algo comum na visão das pessoas (porque na vida real já é), né?
    Enfim, gostei e quando possível irei baixar pra assistir :D
    Beijos!

    Responder

    • Cibele Ramos
      30/01/2014 # 21:15:33

      Oi Stefani,
      nas férias eu sempre pego algumas séries pra ver também. Ultimamente estou preferindo as finalizadas porque já tá tudo aí e não tenho que esperar episódio novo né?
      Eu recomendo DEMAIS Queer as Folk e veja sim, se puder. E se prepare para se apaixonar por todos os personagens!
      Beijos ;*

      Responder

  • Jéssica barbosa
    01/02/2014 # 20:59:49

    Não acredito estou revendo esta série no momento para escrever no meu blog,(ah e por sinal o seu blog é ÓTIMO).
    Me apaixonei por ela logo de cara, confesso fiquei chocada no inicio mais depois me acostumei tanto que hoje acho qualquer coisa natural rsrs. Até chorei no final da série, não era bem desse jeito que queria ela acabasse claro, mais sei ao mesmo tempo que o final que foi dado foi o mais apropriado.

    http://livrosseriesemelodias.blogspot.com.br

    Responder

  • Mayra Olivetti
    07/02/2014 # 08:26:17

    Venho por meio deste comentário dizer que não abandonei meu amado Brian Kinney, é só falta de tempo.
    De nada.

    Responder

    • Cibele Ramos
      07/02/2014 # 08:39:17

      Falta de tempo = “sou uma quitter”.
      Bom que sobra mais Brian pra mim.

      Responder

      • Mayra Olivetti
        07/02/2014 # 08:41:29

        Vou terminar QAF e vou esfregar na sua cara. Tô sem tempo mesmo, queria terminar mas nem HIMYM tô vendo.
        Humpf

        Responder

Deixe um comentário

*