Will & Will – Um Nome, Um Destino

por • 6257 Acessos

    Livros da série Will & Will:

  1. Will & Will
  2. Me Abrace Mais Forte
Will & Will – Um Nome, Um Destino

Minha Classificação:
Will & Will: Um nome, um destino goodreads
de ,
Publicação: em 2013
Gêneros: ,
ISBN: 9788501093882
Título Original: Will Grayson, Will Grayson
Páginas: 352
Tradução: Raquel Zampil
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

[capa]

Eu como mega fã do David Levithan estava ansiosa pra ler esse livro muito antes de saber quem é John Green. Fiquei feliz quando foi lançado no Brasil, apesar de ter ficado meio em dúvida se gostei ou não do título nacional.

Will 1 e Will 2 moram em Chicago e não sabem da existência um do outro. Os dois tem vidas e personalidades completamente diferentes, mas acabam se sentindo ligados, além de pelo nome, é claro, pelas circunstâncias em que se conhecem e por um amigo que passam a ter em comum.

penso que a ideia de um “dia de saúde mental” é algo completamente inventado pelas pessoas que não têm a menor ideia do que é não ter saúde mental. a ideia de que sua mente pode ser arejada em 24 horas é meio como dizer que uma doença cardíaca pode ser curada se você comer o cereal matinal correto.

Antes de começar a ler o livro eu fiquei em dúvida se conseguiria identificar o Will do John Green e o Will do Levithan, mas foi moleza. Levithan escreve de uma forma diferente, é impossível pra mim não reconhecer já num primeiro olhar. O Will de John Green é hétero (assim como o autor) e tem muitos bons amigos, enquanto o de Levithan é gay (assim como o autor), depressivo e tem poucos amigos com quem contar. O texto de Green é padrão e o de Levithan é todo em minúsculas e as conversas são do tipo roteiro com o nome de quem está falando, dois pontos e a frase.

WILL_E_WILL_1392330320B

Nova capa lançada pela Galera Record!

Li o livro todo sem marcar nenhuma quote e pra colocar uma frase na resenha tive que folhear o livro pra encontrar alguma que eu achasse que valia a pena mencionar. Diferente dos outros livros dos autores esse não é cheio de frases de efeito.

Will 1 é o mesmo cara de quase todos os livros do John Green que li, portanto nenhuma novidade aqui. A depressão de Will 2 foi a mais realista que já vi em um livro e pode soar bem exagerada pra quem nunca viveu ou viu isso de perto. Nenhum dos personagens é de fato agradável, mas a história flui bem e não posso deixar de mencionar o quanto acho importante que a homossexualidade seja abordada em um livro para o público jovem. David Levithan sempre faz isso e essa é só uma das coisas que me fazem ser tão apaixonada por ele. 

Apesar de ser um livro que não me marcou, foi uma leitura bem agradável e eu só tirei uma estrela porque tinha muito John Green no meu Levithan.

CURIOSIDADE: A ideia de escrever o livro surgiu pois na faculdade onde David Levithan estudou tinha um David Levinthal e as pessoas confundiam os dois o tempo todo.

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas




  • Samuel Henrique
    29/11/2013 # 16:22:20

    Oi Cibele, achei sua resenha pouco construtiva! Eu queria saber mais sobre a história e sobre o que você achou, eu esperava mais aqui no seu blog…Já vi resenhas melhores…
    Fiquei triste pois você não citou nada que outros blogueiros citaram, como o fato de esse ser um livro divertido e muito engraçado, enfim..me decepcionei, espero que essa seja uma crítica que melhore suas próximas resenhas em qualidade! ;) Abraços..

    Responder

    • Cibele Ramos
      29/11/2013 # 18:15:31

      Oi Samuel,
      obrigada pela crítica.
      Eu falei pouco da história porque é basicamente isso mesmo, duas pessoas de mesmo nome que se encontram e são ligadas por alguém em comum. Se eu falasse mais coisas que eles passam durante a história, podia ser considerado spoiler pra alguém.
      E o livro não me divertiu, os livros do Levithan nunca me divertem, em vez disso eles me fazem pensar e ver algumas coisas por uma nova ótica, embora nem isso Will & Will tenha conseguido. Foi mais um passatempo mesmo, nada de mais.
      Beijos ;*

      Responder

  • Eduardo
    14/12/2013 # 16:08:20

    Quando vi a capa e o título pela blogosfera fiquei interessado, não tinha lido nada a respeito, essa é a primeira resenha que li e confesso que todo interesse foi por água abaixo. Gostei de sua resenha porque ela me ajudou a tirar algumas dúvidas sobre o livro.
    Abraços, DuLapa.

    Responder

  • Arthur Dias
    16/12/2013 # 16:11:30

    Olá Cibele!

    Nunca li nada do Levithan, mas ‘Todo Dia’ e ‘Nick & Norah’ estão na minha lista de leitura já há algum tempo. Não havia me interessado por esse livro em questão, e ainda não me interesso.
    Mas foi bom conhecer alguém que prefira David Levithan a John Green. Isso me fez querer mais ler os livros dele que mencionei, para tirar minhas conclusões.
    Quanto à sua resenha, não a achei ruim. O livro em si já não é muito interessante (pelo meu ponto de vista) e acho que foi isso que fez o Samuel criticá-la.

    Grande abraço!

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  • Invisível | Estante Lotada
    19/02/2015 # 19:01:00

    […] palavras, mas a verdade é: David Levithan, você me decepcionou. Não é que eu tenha achado que Will & Will foi grandes coisas, mas Invisível foi ainda mais difícil pra mim. Talvez nem tanto pelo livro em […]

    Responder

Deixe um comentário

*