Vida Após a Morte

por • 4453 Acessos

Vida Após a Morte

Minha Classificação:
Vida Após a Morte goodreads
de
Publicação: em 2013
Gênero:
ISBN: 9788580573190
Título Original: Life After Death
Páginas: 399
Tradução: Marcello Lino
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinokobo
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Vou ser sincera: esse livro só me chamou atenção porque o Johnny Depp (meu ator preferido) foi simpático à causa de Echols, e foi por isso que eu disse que quis lê-lo. Confesso que eu não estava nem um pouco animada pra ler uma autobiografia e me surpreendi positivamente pela história, que é bem mais envolvente do que pensei.

[capa]

Damien Echols e dois amigos seus, Jason Baldwin e Jessie Misskelley, foram acusados injustamente pela morte de três crianças de oito anos no estado de Arkansas, nos EUA. A morte dessas crianças teria sido motivada por um culto satânico, e por isso os três amigos foram mandados diretamente para o corredor da morte. Nesse obra, Echols narra sua vida em cárcere privado e lembranças de sua infância.

Eu jamais pensei que eu fosse gostar de uma biografia tanto assim, ainda mais uma autobiografia. Mas adorei. Amei. Achei os insights de Damien quase filosóficos e tão esclarecedores, tão amplos e poéticos que tinham vezes que eu me pegava com a mão no coração durante a leitura, porque esse livro se mostra tão leve quanto um diálogo, uma conversa entre você e seu melhor amigo, que te conta coisas de seu presente e passado que você não sabia. Uma coisa bem íntima. Assim, essas histórias e experiências fazem refletir sobre a sua própria vida.

Sinto-me perdido por aqui, e tudo me lembra que eu não sou tão real. No final, é sempre o lar que nos amaldiçoa. Pág. 52

Damien alterna histórias da sua infância pobre com passagens de dentro do Corredor da Morte. Sua infância foi difícil, pobre e ele achou no skate um dom. Depois começou a se vestir todo de preto, se tornou católico, e assim seguiu sua vida. Ele jamais pensou que um dia sua existência seria condenada por pessoas que um dia foram tão boas para ele, e por motivos tão insignificantes como as bandas que ouvia e as roupas que usava. Os cristãos. Existem passagens no livro que me chamam bastante atenção por serem de cunho antirreligioso, e eu, por não ter religião definida achei muito bons porque se aplicam à muita gente – que eu conheço, inclusive. Essa, particularmente, é sobre seu padrasto, com quem ele tinha uma relação um pouco perturbadora e distante, mas ele jamais decreta ódio a ninguém durante o livro; interessante que ele comede ações negativas de seus pais dizendo que ele sentia o amor deles, não naqueles tempos, mas agora tudo fica mais claro pra ele. Eis a passagem:

Era uma das pessoas mais cheias de ódio que já conheci, e mesmo assim vivia na igreja. Agora sei que isso não é nada incomum, que é mais regra do que exceção, mas na época eu não conseguia compreender. Pág.56

Ademais, Damien narra sua monótona vida do Corredor da Morte, como seus dias são difíceis e nebulosos e coisas que já aconteceram com ele e presidiários que ali moraram. As histórias são sempre pesadas. Em sua maioria são sobre o comportamento humano e como ele pode ser degenerado se exposto a uma situação de extrema pressão – as observações de Damien são meio contemplativas, como se ele fosse um expectador ali, e isso foi uma das coisas que eu mais gostei no livro – atribuo isso ao fato de nesse tempo ele ter se tornado budista, meditado e rezado muito, até porque uma clareza de espírito ajuda a ver as sombras nos dos outros. Isso e o jeito como ele se referia carinhosamente a seu passado, falando de suas casas e seus familiares com um sentimento quase palpável me encantou e me envolveu muito na história desse cara de quem eu nunca tinha ouvido falar.

Vislumbrei minha sombra hoje. Geralmente, é muito difícil vê-la porque ela sempre se esconde atrás de mim. É muito mais fácil ver a de todas as outras pessoas. Pág. 54

Finalmente, só recomendo esse livro. É uma leitura ótima, que faz com que o leitor se envolva e saiba o que pode acontecer dentro de uma prisão. Além disso, é como ter uma conversa com uma pessoa bem mais sábia que você – aprender com o erro dos outros é ser mais inteligente do que errar e aprender com seus próprios. Os direitos de filmagem foram adquiridos pelo MEU LINDO E AMADO E TUDO E PERFEITO Johnny Depp, e espero que saia um filme mesmo (vi no site da Intrínseca) porque eu vou ser uma das que vai ver.

Espero que tenham gostado da resenha!
Beigos!

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas




  • Tamires
    05/07/2013 # 17:15:02

    Confesso que eu sou da mesma opinião, não me agrada autobiografias, mas ao saber do JD( meu ator preferido ever<3) eu fiquei curiosa de verdade, e agora depois da resenha mais ainda!!

    Quando der, da uma passada no eu blog, vou ficar feliz de receber você por lá!

    Responder

  • Aline T.K.M.
    06/07/2013 # 00:22:11

    Eu estava querendo ler uma resenha desse livro. Na verdade, ele não tinha me chamado muito a atenção até saber mais sobre ele na Turnê Intrínseca. Aí, ao conhecer um pouco da história do Damien e saber que outras pessoas (públicas, como o Depp) eram simpáticas à causa, comecei a ter grande curiosidade pelo livro. Pela resenha, creio que eu apreciaria a leitura.
    E ah, não sabia que o próprio Johnny Depp havia adquirido os direitos!! Também vou querer conferir!

    Bj, Livro Lab

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  • Lugares Escuros | Estante Lotada
    21/06/2015 # 14:27:16

    […] intricada na realidade – Cibele fez questão de me lembrar que o caso de Ben lembra o dos Três de Memphis, que foram acusados de assassinatos de três meninos porque escutavam rock e vestiam preto – […]

    Responder

Deixe um comentário

*