Divergente – Divergente 1

por • 4839 Acessos

    Livros da série Divergente:

  1. Divergente
  2. Insurgente
  3. Convergente
Divergente – Divergente 1

Minha Classificação:
Divergente (Divergente, #1) goodreads
de
Publicação: em 2012
Gêneros: ,
ISBN: 9788579801310
Título Original: Divergent
Páginas: 504
Tradução: Lucas Peterson
Compre em lojas confiáveis:
saraivafnacculturasubmarinoamericanasbwbkobo
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Divergente é um livro que está sendo bem falado no Brasil e fora dele, o que me deixou curioso para saber se o livro é realmente tão bom para tanto falatório. No final, não fiquei no grupo dos que amaram o livro. 

“Os que culpavam a duplicidade fundaram a Fraqueza”.  – Pág. 49

[capa]

No futuro em Chicago a sociedade se divide em cinco facções, que buscam erradicar as qualidades responsáveis pela desordem causada no mundo. Nesse cenário somos apresentados à nossa protagonista, Beatrice. Ela está prestes a passar pela cerimônia na qual escolherá continuar na sua facção de sangue ou se mudar para outra, baseando-se ou não no teste de aptidão .

” Os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação.” – Pág. 49

Ela escolhe sair da Abnegação e se transferir para a Audácia. Lá terá que passar por todo o treinamento para ser aceita e deve esquecer a sua facção de sangue, mas tudo começa a se complicar quando o resultado de seu teste de  a torna um risco para a sociedade e a Erudição inicia um ataque a Abnegação através da imprensa. O que seriam os divergentes? Por que eles são tão temidos?

“Os que culpavam a covardia se juntaram a Audácia.” –  Pág. 49

O primeiro problema que tive com Divergente, foi com a sociedade, que além de ser rasamente explicada, como em Jogos Vorazes, não tornou realista e racional a divisão da sociedade em cinco. Não fica clara a quantidade de pessoas que formam esta sociedade, mas presume-se que seja pequena devido à baixa quantidade de iniciados na Audácia.

“Os que culpavam a ignorância se tornaram a Erudição.” – Pág. 48 

Consegui me apegar pela protagonista facilmente pelo seu jeito fraco e simples, mas corajoso ao ponto de largar a família em busca do que acreditava. Os outros personagens também são bons, e conseguem cumprir o seu papel na jornada de construção da narrativa adequadamente. Não gostei tanto do romance quanto o de Peeta e Katniss, mas consegui ignorar facilmente, tirando o fato de ela não ser bonita e nem inteligente (Veronica Roth, o que custava deixar a protagonista um pouco menos coitadinha?).

“Os que culpavam a agressividade formaram a Amizade.” – Pág. 48

A história é cativante e a escrita é leve ao ponto de você começar a ler e em pouco tempo já ter passado das primeiras 100 páginas, impulsionado pela vontade de que algo bombástico aconteça e devido à curiosidade de saber o que a Erudição estava tramando na sua empreitada contra a Abnegação. Recomendo o livro a todos que gostam de distopias, mas não espere que seja a cereja do bolo.

Se gostou do post não deixa de compartilhar nas redes sociais ou comentar ali embaixo ♥


Você leu esse livro? Avalie também!
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
(2 votos, média: 5,00 de 5)

11
comentários



  • Gabriel Ribeiro Gomes
    27/11/2012 # 11:51:40

    Gente quero muito ler esse livro , tantas resenhas , post e opiniões falando bem dele , já está na lista aqui :D

    [Comentário com link. Editado]

    Responder

  • Mell Ferraz
    27/11/2012 # 12:19:42

    Nunca tinha lido nada sobre esse livro, nem sabia que ele existia, mas depois da sua resenha não fiquei com vontade de lê-lo. Já não sou muito acostumada com distopias, ainda mais com uma personagem que me parece chatinha e uma sociedade mal explicada rs Tentei ler Destino e não consegui, pra mim se tornou uma decepção, seria muito ruim recomeçar por outro que não instigue a minha leitura.
    Adorei sua resenha, bem equilibrada e sincera!

    Mell Ferraz – Croissant Parisiense

    Responder

    • Jesimiel
      27/11/2012 # 20:35:22

      Faltou algo para explicar a sociedade, principalmente o que os levou a se dividir em cinco e não em mais ou menos grupos, tornando a explicação do livro pouco palpável.

      A protagonista não é chata, mas é muito sofredora, por isso eu gostei dela. Ela não é bonita e nem inteligente, apenas corajosa (o que no livro seria um pouco burra, pois pular de trem só pra provar coragem não é nada inteligente).

      Eu não li destino e nem lerei depois de ler seu comentário.

      Responder

  • Joshua Guimarães
    27/11/2012 # 12:40:03

    Comprei já esse livro, e em dezembro ele vai chegar. Estou muito ansioso para “Divergente”, mas acredito que o livro não será tão espetacular… bem, quando eu ler tiro minhas conclusões. Boa resenha!

    Responder

    • Jesimiel
      27/11/2012 # 20:24:43

      Realmente, não fique esperando algo tão bom, quanto estão falando. Depois que ler e resenhar me avisa pelo twitter, pois que saber o que você achou do livro.

      Responder

  • pamela
    27/11/2012 # 14:14:40

    Bom… Estava interessada neste livro , pois me apaixonei por Jogos Vorazes e esse livro tem a mesma base.Estava á procura de uma resenha e essa me esclareceu bastante,parece ser um livro legal,mas ñ acho q tenha nada demais.

    Responder

    • Jesimiel
      27/11/2012 # 20:40:00

      Se você gostou de Jogos Vorazes, provavelmente você vai gostar, mas você esta certo em não ir com expectativas, pois é provável que você se decepcione como eu.

      Responder

  • Pah
    27/11/2012 # 16:51:08

    oi tem selinho pra vc lá no blog

    Responder

  • Monique Melo
    27/11/2012 # 20:51:50

    Eu quero ler Divergente, mas cada vez que leio as resenhas, fico menos animada. Adoro distopias e acho que nunca é demais, mas qualidade acima de tudo. Enfim, lerei de qualquer forma, afinal, quero ter minha opinião sobre o livro.
    Adorei a resenha.

    Responder

    • Jesimiel
      27/11/2012 # 21:08:24

      Leia mesmo, mas se puder gostaria que me enviasse o link para sua resenha, pois seria interessante saber outras opiniões sobre este livro. Que bom que gostou da resenha :)

      Responder

  • Hosanna Almeida
    09/08/2013 # 07:59:54

    Ainda bem que esse é um país democrático! Você diz que é ruim, e eu vejo 5415815 pessoas dizendo o contrário! ;)
    Comprei o livro meses atrás e achei fantástica a atmosfera desse livro. A personagem não é chata, nem clichê, NÃO TEM TRIANGULO AMOROSO (Deus, obrigada), e o livro segue uma narrativa ótima e fluida, como só a Veronica conseguiu fazer. Você literalmente se sente dentro do conflito emocional da Tris, com o ‘drama’ de ter abandonado sua antiga família, provar seu valor para permanecer na sua atual facção, e o pior, o medo de ser Divergente e o que isso acarretará no futuro. Insurgente veio para completar os pontos que faltavam, mostrar as outras facções que ainda eram desconhecidas, e nos deixar perplexos com um fim que ninguém esperava.
    Realmente seu comentário é bastante tendencioso. DAS DUAS, UMA: Ou você deve ser daqueles fãs de Jogos Vorazes que acham que qualquer distopia é imitação, ou você já tinha começado a ler o livro com uma pré-impressão.
    Os dois são péssimos.
    Leiam o livro, colegas. Tirem suas próprias opiniões. E pelo contrário do que disseram, eu fui atrás de várias resenhas para conhecer melhor o livro, e a maioria falaram bem/muito bem do livro.
    Façam o mesmo. Comprem, peçam emprestado. Leiam SEM PRECONCEITO, por favor.

    Responder

Deixe um comentário

*