Dead Things – Eric Carter 1

por • 242 Acessos

    Livros da série Eric Carter:

  1. Dead Things
  2. Broken Souls
  3. Hungry Ghosts
Dead Things (Eric Carter #1)

Minha Classificação:
Dead Things (Eric Carter #1) goodreads
de
Publicação: em 2013
Gênero:
ISBN: 9780756407742
Páginas: 295
Nível do idioma: Fácil
Lojas confiáveis para comprar livros:
amazonbookdepositorykindle
A compra pode render comissão ao blog.

Eric Carter é um necromante, que é uma palavra bem feia. Ele prefere “mágico/assassino que lida com coisas mortas”. Após um trabalho nada fácil, Eric descobre que sua irmã foi brutalmente assassinada e se vê obrigado a voltar para Los Angeles, sua cidade natal, que ele não vê há quinze anos – depois de fugir e jurar nunca mais pôr os pés lá.

Preso em seu próprio pequeno inferno sem nenhuma ideia de como chegou ali ou de como sair. Assim como o resto de nós. (Tradução livre)

Minha curiosidade para com a série começou porque sigo o autor no Twitter, e Stephen Blackmoore é muito engraçado – todos os dias ele posta horóscopo, mas de uma forma super inusitada e criativa. Partindo do pressuposto que ele fosse passar isso para suas obras, resolvi ler Dead Things sem nenhum compromisso (até porque as avaliações no Goodreads não chegam a 4 estrelas) e me surpreendi muito positivamente com a leitura.

A narrativa de Eric em primeira pessoa é intrincada de humor negro depreciativo, e esse não é um tipo de risibilidade que agrada a todos, daí a classificação baixa no Goodreads. Sinceramente, adoro esse tipo de narrativa cômica que esbarra no politicamente incorreto o tempo todo, e as tiradas do protagonista eram sensacionais, oportunas e casavam muito bem com qualquer situação que ele estivesse vivendo no livro. Além disso, a história que o autor propõe não é muito complexa embora seja um tipo diferente de gênero, descrito como “fantasia urbana”, porque tem elementos fantásticos mas se passa em um lugar real, em prédios reais e etc. Por mais que hajam recursos repetidos ao longo do livro, Blackmoore os torna cômicos na própria desgraça do mago. Spoiler: Eric apenas se ferra! Mas em momento nenhum a história foi construída de forma a sentirmos pena dele, a todo tempo o leitor sabe que Eric vai dar seu jeito de consertar a besteira que fez e isso só contou pontos positivos para o livro.

Eu quero tomar uma aspirina, beber minha tequila e ir para a cama. Acordar amanhã é opcional. (Tradução livre)

Cheio de plot twists, referências nada católicas à Star Wars e situações trágicas se não fossem cômicas, Dead Things foge do comum. As ações do protagonista, assim como o curso que o livro toma são imprevisíveis; o final! O final me deixou boquiaberta porque foi tudo que achei que não fosse ser, no bom sentido. Penso que fora isso tudo, o que mais gostei na história foi que Eric é um adulto e também faz escolhas erradas, assim como todos nós; e por isso vou começar a ler o segundo volume da série para ver no que vai dar, além de errado, porque ruim para o Eric já está!

 

        
Resenhas de Livros
0
comentário

Tony & Susan

por • 1084 Acessos

Tony & Susan

Minha Classificação:
Tony & Susan goodreads
de
Publicação: em 2011
Gêneros: ,
ISBN: 9788580570663
Título Original: Tony and Susan
Páginas: 336
Tradução: Rubens Figueiredo
Lojas confiáveis para comprar livros:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Susan e Edward se divorciaram há mais de 20 anos e durante esse tempo, ambos se casaram com outras pessoas e perderam o contato um com outro. Mas numa noite, sem aviso, Susan recebe um pacote de Edward com um livro que ele escreveu e gostaria que ela lesse para oferecer uma opinião sincera. Após pensar muito, Susan decide mergulhar em “Animais Noturnos”, a história de Tony.

“Susan não é capaz de dizer se o que reflete ali é uma tristeza que a imaginação dela mesma ajudou a formar, ou se, ao contrário emite uma tristeza própria.”

Eu decidi ler esse livro porque o filme com o crush Jake Gyllenhaal baseado nele estava prestes a estrear e eu queria conhecer a história escrita antes de ver sua adaptação. Esta ficção foi vendida como sendo sobre vingança dentre outras coisas (veja na página oficial no site da editora) e talvez eu seja muito ruim em interpretar simbolismos, mas não enxerguei o livro dessa forma. Tony & Susan por si só não é difícil de entender, é basicamente um livro dentro de um livro. Ao mesmo tempo que conhecemos a história de Susan tanto com Edward quanto com seu atual marido, acompanhamos em “Animais Noturnos” a violenta história sobre como Tony perdeu sua família. A conexão entre as duas histórias é bem sutil e eu ficaria mais convencida se tivessem me dito que em vez de vingança, Tony & Susan falava sobre as duas versões de uma mesma verdade porque foi assim que compreendi tudo o que aconteceu.

“(…) ninguém escreve sobre outra coisa senão sobre si mesmo.”

Durante todo o livro Susan não faz nada além de ler “Animais Noturnos” e pensar no seu passado, ela não interage de verdade com nenhum outro personagem e talvez por não saber exatamente como ela estava se sentindo, não sei como a história mexeu com ela além de um básico “gostei” ou “não gostei” que foi o mais perto que ela chegou de demonstrar qualquer emoção. No entanto, o que acontece com Tony é bem interessante e durante as primeiras páginas eu fiquei tensa o tempo inteiro querendo saber o que aconteceria a seguir. Com o passar das páginas os acontecimentos foram ficando desinteressantes e ao final eu só queria terminar, já não me importava mais com nenhum personagem ou acontecimento. Isso vale tanto para o livro dentro do livro como para Tony & Susan.

De forma geral esse não é um livro ruim, mesmo que eu não tenha “comprado” a proposta pela qual o livro foi vendido, não acho que a leitura tenha sido uma perda de tempo. Teve partes interessantes e sem dúvida me deixou tensa por um tempo, mas para mim vai ser lembrado como uma boa ideia mal aproveitada. A história inicial tinha muito potencial que não foi aproveitado durante as muitas páginas do livro. Espero que a adaptação tenha conseguido levar para as telas a emoção que Tony & Susan falhou em entregar.

        
Resenhas de Livros
0
comentário

A Bruxa de Near

por • 2319 Acessos

A Bruxa de Near (Bruxa de Near #1)

Minha Classificação:
A Bruxa de Near (Bruxa de Near #1) goodreads
de
Publicação: em 2013
Gênero:
ISBN: 9788542201673
Título Original: The Near Witch
Páginas: 240
Lojas confiáveis para comprar livros:
saraivafnacculturasubmarinoamazonkobokindle
A compra pode render comissão ao blog.

Capa original

Ela era muito velha e muito jovem, dependendo de como virava a cabeça, pois ninguém sabe a idade das bruxas. Os riachos do páramo eram seu sangue e o mato a sua pele. Seu sorriso era doce e duro ao mesmo tempo, como a lua na noite escura…

Near é uma pequena vila que acabou fechada em si mesma após os acontecimentos com a Bruxa de Near. Os moradores vivem sob a supervisão dos três mestres da cidade, um posto que é passado de geração a geração. Eles guardam as histórias e vigiam para que os eventos com a Bruxa não se repitam. O resultado é um isolamento do resto de mundo e um conjunto de normas a serem cumpridas e respeitadas pelos moradores. Lexi é uma garota de 16 anos que perdeu seu pai e está na idade de casar. Sua mãe já não é mais a mesma mulher desde a morte do pai, e quem determina o que deve ser feito na sua casa é seu tio, Otto, o homem da família. Lexi também tem uma irmã caçula, Wren, de cinco anos.

Em uma noite um estranho é avistado nas redondezas gerando um enorme rebuliço na cidade, na noite seguinte uma criança some da sua cama no sem deixar vestígios. É então que Otto, o protetor da vila, junta alguns homens e saem em busca da criança desaparecida com a certeza que o estranho é culpado. Porém, não encontram nem a criança, nem o estranho e noite após noite uma criança some da sua cama.

E bem nesse momento o mundo fica negro e a música fica mais alta. Debaixo da melodia, eu ouço aquelas palavras. As que os adultos não ouvem e as crianças ouvem muito claramente, chamando-as para saírem de suas camas.

Lexi é impetuosa e quer traçar seu próprio caminho, seu pai a ensinou a caçar e fazer coisas que não são consideradas de ~menina~ e por isso ela enfrenta constantemente seu tio. Ela conhece o estranho e os dois se unem para encontrar a garota desaparecida, com uma pequena ajuda das duas outras bruxas da cidade, as irmãs Thorne, que vivem no limite entre a cidade e o páramo e são apenas  toleradas pelos moradores. 

A sensação que eu tive é que essa história é uma daquelas que se conta para as crianças dormirem, o foco está completamente na narradora, a Lexi, que é a única que tem um certo desenvolvimento. São tocados em vários assuntos de reflexão, de um jeito leve, como preconceito, tolerância, medo do desconhecido, submissão feminina e termina com uma leve lição de moral. Isso não é um problema, só que eu esperava mais, mais aprofundamento dos personagens e da história. História que segue um roteiro que se repete no livro todo com pequenas diferenças, entendo que como a história se passa numa vila, os espaços são reduzidos, porém acredito que a forma como foi executado acabou reforçando essa impressão de sempre acontecer a mesma coisa.

É um livro que eu teria aproveitado melhor se tivesse lido mais nova, agora ele já não funcionou tão bem para mim. Ele estava na minha estante desde o lançamento e fiquei feliz por finalmente ter lido. Quero ler mais coisas da Victoria Schwab para ter uma visão melhor da obra dela. 

A bruxa merecia respeito, na vida e na morte – diz Magda, tão baixinho que Dreska não deveria ter ouvido. Mesmo assim, as duas assentem uma ao lado da outra, as cabeças se mexendo a um ritmo levemente diferente. – Em vez disso, ela recebeu medo, depois fogo e assassinato.

      
Resenhas de Livros
1
comentário

Estante Lotada © 2010-2017 Design e programação por Cibele Ramos

    
Nos mudamos de www.euleioeuconto.com para www.estantelotada.com.br, por favor atualize seus feeds & links!