A Garota No Trem

por • 432 Acessos

Para conferir a resenha do livro "A Garota No Trem", clique aqui.

A Garota No Trem

Minha Classificação:
The Girl on the Train IMDb
de Tate Taylor
Estreia no Brasil: 07 Out 2016
País: USA
Gênero: Drama, Mistério, Thriller
Roteiro: Erin Cressida Wilson (roteiro), Paula Hawkins (livro)
Elenco: Emily Blunt, Haley Bennett, Rebecca Ferguson, Justin Theroux
Duração: 112 min

O filme conta a história de Rachel, uma mulher divorciada, que acompanha de longe a vida de um casal aparentemente apaixonado todos os dias quando está no trem. Um dia ela descobre que a mulher está desaparecida e resolve se intrometer nas investigações apesar de não ser a testemunha mais confiável do mundo graças ao seu vício por álcool e as mentiras que conta para esconder isso das pessoas próximas.

Rachel

Assim como o livro, o filme é contado pela perspectiva de três mulheres: Rachel, Megan (a mulher desaparecida) e Anna (a nova esposa do ex de Rachel) e a parte menos interessante para mim continuou sendo a da Rachel, que é a mais longa, mas não é a principal. A história chegaria facilmente à mesma conclusão só com a versão das outras personagens. No entanto, aqui temos a atuação incrível da Emily Blunt o que torna as cenas menos dispensáveis e só por ela eu consegui não morrer de tédio nessas partes. 

Megan

A ideia de A Garota No Trem sempre me atraiu porque eu adoro esse tipo de história. Apesar de terem feito uma adaptação fiel, o filme ficou bem melhor que o livro. Na versão da Paula Hawkins o desenvolvimento do mistério é muuuuuito lento e as pistas fornecidas são tantas que ainda bem longe da grande revelação final, já dava para saber exatamente o que aconteceu com Megan. Já a versão de Tate Taylor me deixou tensa do começo ao fim apesar de eu já saber como tudo ia acabar, ainda assim não conseguia deixar de ficar nervosa. Só isso já faz com que eu prefira mil vezes a obra cinematográfica.

Anna

A Garota No Trem é um filme bom, porém não marcante e que vale mais a pena pela atuação das personagens principais. Talvez exatamente por isso, se tiver que escolher entre ler ou ver a história, aconselho a ficar com a segunda opção.

        
Livros no Cinema
0
comentário

Oscar 2017: Nossas Apostas

por • 1295 Acessos

Ano passado fizemos nosso post de apostas então vamos repetir esse ano. Só espero me sair melhor do que ano passado porque passei vergonha né?

Melhor Filme

  • Até o Último Homem (Hacksaw Ridge)
  • A Chegada (Arrival)
  • Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)
  • Lion: Uma Jornada Para Casa (Lion)
  • Manchester À Beira-Mar (Manchester by the Sea)
  • Moonlight – Sob a Luz do Luar (Moonlight)Vencedor
  • Um Limite Entre Nós (Fences)
  • La La Land – Cantando Estações (La La Land) Camila Cibele Mayra
  • A Qualquer Custo (Hell or High Water)

Mayra: Queria que fosse Moonlight, mas acho que vai ser La La Land ou Lion.

Cibele: No meu coração é “A Chegada” mas na realidade vai ser “La la land”.

Melhor Direção

  • Damien Chazelle, La La Land – Cantando EstaçõesVencedor Camila Cibele
  • Dennis Villeneuve, A Chegada
  • Mel Gibson, Até o Último Homem
  • Barry Jenkins, Moonlight – Sob a Luz do Luar Mayra
  • Kenneth Lonergan, Manchester À Beira-Mar

Melhor Ator

  • Casey Affleck, Manchester À Beira-MarVencedor Camila Mayra
  • Andrew Garfield, Até o Último Homem
  • Viggo Mortensen, Capitão Fantástico (Captain Fantastic)
  • Denzel Washington, Um Limite Entre Nós Cibele
  • Ryan Gosling, La La Land – Cantando Estações

Mayra: Queria que fosse qualquer um menos o Casey Affleck, mas acho que ele leva. P.S.: Ryan Gosling o ator mais superestimado de Hollywood.

Cibele: Acho que vai ser o Casey Affleck mas não tem forças no universo que me obriguem a votar nesse homem.

Leia tudo »

      
Filmes
0
comentário

Três Séries Estreantes da Semana

por • 1772 Acessos

Big Little Lies

Big Little Lies conta a história de três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar juntos no jardim de infância. Até então, elas levam vidas aparentemente perfeitas, mas os acontecimentos que se desenrolam levam as três a extremos.

Antes de saber do que se tratava a série eu já fiquei interessada só pelo elenco (olhando a foto que coloquei aqui já dá pra perceber o motivo), mas não vou negar que mesmo com outros atores eu ia acabar assistindo pela sinopse. A história é baseada no livro de mesmo nome, que pretendo ler mas ainda não li, e o piloto foi muito bom em construir uma base de mistério porque teve muitas perguntas e nenhuma resposta. Claro, algumas coisas já dá pra chutar, mas outras, como por exemplo quem morreu no assassinato da primeira cena é algo que ainda vai ser respondido mais a frente. Eu tenho palpites, mas também tenho a impressão de estar muito errada.

Crashing

Crashing, série criada por Judd Apatow (Love, Girls) e pelo comediante Pete Holmes, que também estrela a produção. Crashing é livremente baseada na vida de Pete Holmes, um comediante que passa a se dedicar a escrever HQs depois que sua esposa o abandona. O ex-apresentador da TBS assina a produção executiva da série com Judd Apatow.

Descobri que essa série existia ao ver o trailer uma semana antes da estreia. Tinha tanto comediante legal (alô Sarah Silverman) que na mesma hora eu já anotei para não esquecer de ver. Eu queria ter gostado da série, mas o primeiro episódio foi bem ruim, passou bem longe do meu tipo de humor, sinceramente não tenho nenhuma intenção de continuar vendo.

The Good Fight

Dos criadores Robert King e Michelle King, The Good Fight é o spin-off da aclamada série The Good Wife. Estrelada por Christine Baranski e Cush Jumbo, que reprisaram as personagens Diane Lockhart e Lucca Quinn, The Good Fight conta a história um ano após os acontecimentos da series finale de The Good Wife, no qual uma enorme fraude financeira destruiu a reputação de uma jovem advogada, Maia, ao mesmo tempo acabando com toda a poupança de sua mentora Diane Lockhart, forçando-a a sair da Lockhart & Lee e se juntar a Lucca Quinn em outro escritório de Chicago.

Esse é o spin-off da minha querida The Good Wife que pode ter outra protagonista, mas continua perfeita. Assim como a série anterior, o primeiro episódio já traz uma grande crise na vida da personagem principal que faz com que ela vire o assunto dos EUA enquanto tenta se virar começando na carreira de advogada. As personagens fixas e recorrentes da série anterior estão de volta, mas caso você queria ver The Good Fight antes, até pode, você só não vai vibrar com o fan service do mesmo jeito que eu, mas o entendimento da série vai ser o mesmo (pelo menos no que aconteceu até então).

        
Séries da Semana
0
comentário

Estante Lotada © 2010-2017 Layout: design e programação por Cibele Ramos

    
Nos mudamos de www.euleioeuconto.com para www.estantelotada.com.br, por favor atualize seus feeds & links!