Novidades na Estante – 67° Edição

Book Haul por

Eu mesma esse mês não recebi nada, mas tô aqui fazendo o post para invejar o que a Camila e a Mayra receberam. Humpf U_U

Camila

immmar15_1

COMPREI  Mesmo se nada der certo (DVD)
COMPREI  David Copperfield, Charles Dickens (Cosac Naify)
COMPREI  On the road, Jack Kerouac (L&PM Pocket)
COMPREI  Por lugares incríveis, Jennifer Niven (Seguinte)
COMPREI  Para Sir Phillip, com amor – Os Bridgertons 5, Julia Quinn (Arqueiro)
COMPREI  Inocência? – O Protetorado da Sombrinha 3, Gail Carriger (Valentina)
GANHEI  1Q84 – Livro 1, Haruki Murakami (Alfaguara)
COMPREI  Sonhos com Deuses e Monstros – Feita de Fumaça e Osso 3, Laini Taylor (Intrínseca)
COMPREI  Fúria Vermelha – Red Rising 1, Pierce Brown (Globo)
COMPREI  Um mais Um, Jojo Moyes (Intrínseca)

Leia tudo »




   Em:

Escrito por

0
comentário

Tag das Séries

Tags por

Não é segredo para ninguém que eu sou viciada em séries, logo, achei essa tag perfeita. Na primeira vez que li já soube todas as respostas sem precisar pensar muito. Como as meninas aqui do blog toparam responder também, lá vamos nós.

Essa tag foi criada pela Nine do Estante na Nine.

1- Qual é sua série favorita de todos os tempos?

gilmoregirlsCAMILA: Gilmore Girls, é tanto amor que não tem explicação.

CIBELE: Eu assisto séries desde sempre e NUNCA vi uma melhor que Breaking Bad. Coisas que são incríveis na série: roteiro, elenco, fotografia, figurino, direção, trilha sonora. Isso mesmo, tudo.

MAYRA: Claramente é Breaking Bad. Pra mim é mais que série, é quase uma religião. Até porque é a melhor série da humanidade.

Leia tudo »




   Em:

Escrito por

0
comentário

Li até a página 100 e… #28: Como Fui Esquecer Você, Jennifer Echols

Li até a página 100 e... por

Quem quiser pode postar isso como uma tag, é só clicar aqui para saber como participar. Não esquece de deixar o link ali nos comentários para eu te visitar :)


Como Fui Esquecer Você
Jennifer Echols

Primeira frase da página 100:
Estourar a sua perna com meu fusca já tinha sido suficiente.

Do que se trata o livro?
Zoey é popular na escola, mas sua vida familiar é cheia de problemas. Quando as coisas estão começando a ficar boas, ela sofre um acidente de carro e esquece o que aconteceu na noite anterior e que aparentemente mudou tudo. Em vez de assumir que esqueceu e falar "ei, galera, me ajuda a lembrar?", ela fica jogando verde e vê se consegue descobrir a verdade. É.

O que está achando até agora?
Apesar de já estar de saco cheio da Zoey - PERGUNTA LOGO, CARA - eu também estou curiosa para entender melhor que aconteceu. Na verdade, ao contrário da Zoey, eu já entendi a maior parte, mas quero ver alguém dizer.

O que está achando da personagem principal?
Tirando o fato de que ela poderia pedir ajuda para lembrar logo, tá legal. Ela parece realmente ter a idade que tem e as atitudes dela estão de acordo.

Melhor quote até agora:

"Todo bom nadador tem uma história sobre quase morrer afogado. Esta é a minha."

Esse livro não teve nenhuma frase marcante, de levar pra vida, mas é assim que a história começa e me deixou bem curiosa sobre o que vinha a seguir.


Vai continuar lendo?
Vou! Não estou animada para ler ó super rápido, mas não pretendo abandonar.

Última frase da página:
Mas Brandon tinha transado com tantas garotas diferentes que sexo comigo não tinha status de evento.




   Em:

Escrito por

0
comentário

O Visconde Que Me Amava – Os Bridgertons 2

Resenhas de Livros por

    Livros da série:

  • O Duque e Eu
  • O Visconde Que Me Amava
  • Um Perfeito Cavalheiro
  • Os Segredos de Colin Bridgerton
  • Para Sir Phillip, Com Amor
  • O Conde Enfeitiçado (Título Provisório)
  • Um Beijo Inesquecível (Título Provisório)
  • A Caminho do Altar (Título Provisório)
capa original
O Visconde Que Me Amava

Classificação:
Título: O Visconde Que Me Amava
Título Original: The Viscount Who Loved Me
ISBN: 97885880411973
Autor: Julia Quinn
Ano: 2013
Páginas: 290
Editora: Arqueiro
Tradução: Ana Resende
Esse livro foi: Emprestado
Saraiva Fnac Cultura Submarino Kobo Kindle
*A compra pode gerar comissão ao blog.

Cá estou eu com a resenha do segundo livro da série dos irmãos Bridgertons, o que fala sobre o Anthony. Ainda faltam mais seis irmãos, e se (as histórias) continuarem assim, Deus nos acuda!

Anthony é o mais velho dos irmãos Bridgertons e o responsável por herdar o viscondado que é o legado da família. Também é um legítimo Libertino, que viveu muitas aventuras na sua vida e agora gostaria de sossegar – tanto (como todos os Bridgertons fizeram antes dele) para garantir os futuros herdeiros do viscondado como para aproveitar a vida antes de sua morte, que ele garante que está iminente de acordo com o fato de seu pai e seu tio terem falecido muito cedo. Então, ele deseja cortejar a moça que foi considerada a mais bela da temporada, Srta. Edwina Sheffield; porém ele terá de passar pela aprovação de Kate Sheffield, a irmã mais velha de Edwina, mas essa aprovação pode se tornar algo muito maior que um simples bom conceito.

“Ela não se importava. A beleza da irmã era simplesmente um fato da vida.” Pág. 20

Na resenha do primeiro livro da série, eu deixei bem claro que a autora escrevia bem, mas era uma blasfêmia compará-la à minha amada e idolatrada Jane Austen e eu ratifiquei essa afirmação nesse segundo livro. Julia Quinn escreve coerentemente, mas ela se utilizou da mesmíssima fórmula de O Duque e Eu, o que eu achei absurdo, já que nesse livro não havia a necessidade SPOILER SPOILER do casamento de Kate e Anthony ser por obrigação que nem o de Daphne e Simon. Poxa, ela tinha acertado na mão quando desenvolveu bem a personalidade de Kate e não a fez idiota controversa que nem a Daphne, aí ela vem e me faz isso!

“[…] Sabia que estava ali por opção, mas provavelmente ele pensaria que ela havia fugido da multidão por ser um fracasso social e pela alta sociedade compartilhar a mesma opinião ao seu respeito: que ela era uma ameaça impertinente e pouco atraente à sociedade.” Pág. 84

Tem uma coisa que eu ando gostando muito nos livros – é uma das poucas coisas que salvam a série pra mim – e são os comentários ora gentis, ora maldosos de Lady Whistledown, a fofoqueira “anônima” da cidade que abrem cada capítulo. São sempre divertidos e introduzem muito bem os acontecimentos a serem abordados no capítulo que se segue, é uma forma de analisar as situações da sociedade da época por um viés mais humorístico. Falando em humor, nesse livro a autora introduz Colin Bridgerton, o terceiro dos irmãos e de longe o personagem mais divertido das histórias até agora – o livro dele é Os Segredos de Colin Bridgerton, o quarto da série. Cara de pau e malandro, ele consegue cativar o leitor em todas as vezes que aparece e me arrancou boas risadas.

“Quase capaz de fazer uma dama esquecer que o homem que a beijava era um canalha. Quase… mas não totalmente.” Pág. 100

Sobre o romance em si, achei 80% melhor do que o livro anterior mais pela construção e desenvolvimento dos personagens do que pelo enredo, já que, como eu disse antes, Julia Quinn usou a mesma fórmula do primeiro livro. Anthony também tem trauma de infância que nem Simon – dessa vez a autora soube não exagerar nessa parte -, Kate também tem a capacidade de contrapor seu amado – só que dessa vez ela não vira uma louca do meio do livro pro fim. Mas nesse livro, Anthony tem mais jeito, ele é mais real e menos babaca que nem Simon; Kate é muito mais inteligente e feminista! que Daphne (só que me irritou muito o fato de ela sempre se afirmar como forte, mas sabendo e aceitando que a sociedade a achava feia e se conformando em sempre estar à sombra da irmã), mas fora isso: mais do mesmo. Aí você me pergunta: Mas Mayra, você vai continuar lendo essa bosta? Eu digo que sim, mesmo quando já me disseram quem é a Lady Whistledown, quando me disseram que o terceiro livro é um porre. Vou continuar porque sigo, aparentemente, não tenho apreço pelos meus neurônios pobres e cansados e também porque preciso ler o livro do Colin pra poder sossegar. Vamos vendo…




   Em:

Escrito por

0
comentário

Começo, Meio & Fim

Tags Literárias por

Essa tag, criada pela Dayane do Letras Eternas, se tornou interessante para mim porque não é raro eu me ver descrevendo um livro com palavras do tipo “no começo é muito parado” e “quando passa da página tal, nossa”. Acho que todo mundo já passou por isso e a gente aqui do blog não é diferente. Tem livros que nos conquistam desde o primeiro momento e uns que a gente acaba mais por teimosia do que por outra coisa, mas no finalzinho, a gente se surpreende. 

readthebook

Termina logo!

1- Qual livro te conquistou pelo começo?

Feita de fumaça e ossoCAMILA: Feita de Fumaça e Osso, Laini Taylor. Me apaixonei pela Karou logo nas primeiras páginas, com o seu cabelo azul, me contando histórias de quimeras e desejos, sua arte e o ambiente em que a história começa, Praga, e bem ali eu pensei que tinha algo sensacional nas minhas mãos, definitivamente esse livro me conquistou pelo começo.

 

 

nick e norahCIBELE: Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música, David Levithan e Rachel Cohn. A primeira coisa no livro é uma playlist de agradecimentos. Gente, eles agradeceram as pessoas usando músicas. MÚSICAS.  E quando a história de fato começa, Nick está no palco meio distraído tocando baixo na queercore band da qual faz parte. Amor.

 

 

condenada-1MAYRA: Condenada, Chuck PalahniukImagina se eu não vou amar um livro narrado por uma garota de 14 anos que vai parar no Inferno? Cheio de nojeiras, humor negro e boa escrita, esse livro é garantia de risadas. Também me fez olhar o Inferno de uma maneira menos estigmatizada, mais divertida.

 

 

Leia tudo »




   Em:

Escrito por

0
comentário