Psicose   A Menina Que Brincava Com Fogo – Millennium 2   Um Amor de Cinema   Hyperbole And A Half   O Duque e Eu – Os Bridgertons 1   O Tribunal das Almas   Quero Ser Seu – Os Sullivans 6   Frances Ha   Os Homens Que Não Amavam As Mulheres – Millennium 1   Would You Rather   A Garota Silenciosa – Rizzoli & Isles 9   Timer – Contagem Regressiva Para o Amor  

Top 12 – Ser ou Não Ser

Top Livros, Top Séries por

Sabe quando você tá vendo aquela série maravilhosa (olá, Breaking Bad) ou lendo aquele livro maravilhoso e se depara com um personagem tão parecido com você que o seu desejo é gritar “meu personagem favorito, ninguém sai” seguido de um “Juliana está D E S M A I A D A”? E sabe quando você vê aquele personagem que você despreza tanto que se pergunta por que cargas d’água alguém criou um ser tão desprezível? Pois é querido leitor, nós do EL dividimos do mesmo sentimento.

CIBELE

lorelai-gilmore-girls-poster(queria) Ser: Dentre todos os personagens dessa ficção maravilhosa, minha pessoa favorita é Lorelai Gilmore de Gilmore Girls. Ela é maravilhosa, tem um humor único, é uma ótima mãe, amiga, tem o melhor gosto do universo pra filmes, apaixonada por boa música, é viciada em café, ama comidas não saudáveis, etc etc etc. A vida dela não é exatamente fácil, mas ela tem força pra correr atrás do que quer. Isso pra mim já basta pra querer ser ela pra ontem.

Leia tudo »




   Em:

Escrito por

Transgender Dysphoria Blues

Resenhas de CDs por

Transgender Dysphoria Blues
Classificação:
Título: Transgender Dysphoria Blues
Artista: Against Me
Ano: 2014
Gênero: Punk Rock
Gravadora: Total Treble
Faixas:
  1. Transgender Dysphoria Blues
  2. True Trans Soul Rebel
  3. Unconditional Love
  4. Drinking With the Jocks
  5. Osama Bin Laden as the Crucified Christ
  6. Fuckmylife666
  7. Dead Friend
  8. Two Coffins
  9. Paralytic States
  10. Black Me Out
Comprar
*A compra pode gerar comissão ao blog.

Esse também foi uma escolha minha para o desafio porque eu amo DEMAIS esse álbum. Em 2013 eu terminei o curso básico de alemão então em 2014 (pelo menos antes do TCC socorro) eu ficava treinando meu alemão sozinha. Nisso eu achei a Rock Antenne e ficava ouvindo o dia inteiro (a maioria das músicas que toca é em inglês, mas os locutores falam em alemão, me deixa). Num dia que eu tava fazendo qualquer coisa e ouvindo rádio como trilha sonora, ouvi a frase “I wanna piss on the walls of your house (quero mijar nas paredes da sua casa)” e na mesma hora parei tudo e continuei ouvindo a música. E acabei apaixonada. Depois disso o que quer que fosse que eu estava fazendo foi esquecido e eu fiquei no Google lendo tudo o que tinha para ler sobre Against Me e sobre… Laura Jane Grace. Eu já estava loucamente apaixonada pela banda e por ela quando fui ler mais sobre tudo e descobri que ela é uma mulher transgênero que tinha começado a transição em 2012, depois de já ser vocalista de uma banda de sucesso e ser casada e ter uma filha. Bum, virei fã. Além disso ela escreveu as músicas desse álbum maravilhoso que não à toa se chama “Transgender Dysphoria Blues” e me conquistou de vez. Amo a coragem da Laura Jane, do álbum e da banda. Sou muto fã, gente, me deixa.

Para quem quiser conhecer um pouco mais da Laura Jane, tem o documentário True Trans.

CIBELE: Já falei ali em cima que amo esse álbum? Bom, então, eu amo esse álbum. Se tem uma coisa que Alta Fidelidade me ensinou foi a fazer playlists e ouço dizer que esse álbum é a playlist perfeita. Começa com uma música que te faz querer ouvir o resto e vai levando até o final sensacional. O CD foi lançado nos EUA pela gravadora independente da banda e é o meu preferido deles. Tem coisas boas nos anteriores, mas esse, galera, eu ouço em loop infinito sem problemas. Sei que muita gente escreve usando coisas pessoais, mas ela escolheu os assuntos mais difíceis de todos e transformou numa coisa linda. Tem músicas que falam, claro, de ser transgênero, de tentativa de suicídio, da morte de pessoas próximas, mas também de encontrar o amor da sua vida e de não estar nem aí pra opinião dos outros. Eu não faço ideia do que é ser uma pessoa trans, mas acho que esse álbum vai ajudar muitas pessoas que vivem o que ela viveu (e ainda vive) a passar por momentos difíceis. Queria que todo CD que eu ouço fosse bom assim!
Nota: 5/5.

Leia tudo »


   Em:

Escrito por

0
comentário

Psicose

Livros no Cinema por

Psicose
Psycho - 1960

Classificação:
País: EUA
Gênero: Suspense
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Joseph Stefano
Elenco: Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles
Duração: 109 minutos
 DVD  Blu-Ray
A compra pode gerar comissão ao blog.

Fui eu que escolhi esse filme para o desafio. Esse que é o meu final favorito de todos os tempos, foi praticamente uma escolha instantânea. É um clássico e tem excelente final: VAMOS VER! Mas ao longo da semana entre a decisão e finalmente (re)ver o filme eu descobri que o Hitchcock era misógino. Sempre adorei os filmes dele e o considerava meu diretor favorito, mas esse é o tipo de coisa que não consigo superar. Se há tempos não chego perto de nada do Polanski ou do Woody Allen, sinto que Hitchcock irá cair no meu esquecimento também. Os filmes, pelo que me lembre, não tem nada de problemático, mas eu pessoalmente não sei separar (nos outros) pessoal de profissional. Então, vida que segue.

O filme é baseado num livro que não lemos.

CIBELE: Eu já tinha visto esse filme antes, lá pelos anos 90, pouco antes de ver o remake (recomendo esquecer que existe). E gente, que final! Eu acho o filme muito bem construído e bem avançado para a época. Aqui em 2015 tem muita coisa que é lugar-comum, porque outros diretores já usaram à exaustão, mas em 1960 era novidade. A mesma coisa com Janela Indiscreta que é uma história que hoje eu já vi 12897319 vezes, mas no seu lançamento foi original. Ainda sobre Psicose, eu acho a história genial, o suspense foi executado na medida certa, gostei das atuações e esse é um daqueles filmes onde eu não mudaria absolutamente nada. 
Nota 5/5.

Leia tudo »


   Em:

Escrito por

1
comentário

Top 8 – Trilhas Sonoras Mentais Para Livros

Músicas, Top Livros por

Cibele: Nessa vida nova do blog, tô tentando mudar as coisas, diversificar, vê o que fica bacana, então hoje, vamos escrever juntas. Combinamos de escolher um assunto e cada uma dar seu voto a respeito. O tema de hoje foi proposto pela Victória

Sabe quando você tá de boa lendo um livro e de acordo com o que está rolando, vem uma música na sua cabeça que cabe PERFEITAMENTE naquele trecho? Ou quando você está escutando uma música e magicamente ela combina com o que você está lendo? Sabe essa sensação transcendental de que música feat livros são as duas metades da laranja, dois amantes, dois irmãos, duas forças que se atraem sonho lindo de viver? Então, eu e as meninas temos esse “siricutito” musical e veio a ideia de dividir com vocês esse nosso momento transcendental mágico demais. Olha aí o resultado:

Promessa de Sangue8 - Promessa de Sangue, Richelle Mead x Wanted Dead or Alive, Bon Jovi


A vida da guardiã Rose Hathaway nunca será a mesma. O recente ataque a Academia St. Vladimir devastou todo o mundo Moroi. Muitos estão mortos. E, pelas poucas vitimas carregadas pelos Strigoi, o destino deles é ainda pior. Uma rara tatuagem agora adorna o pescoço de Rose, uma marca que diz que ela matou Strigoi demais para contar.Mas apenas uma vitima importa… Dimitri Belikov. Rose agora deve escolher, um de dois caminhos bem diferentes: princesa – ou, abandonar a academia para sair sozinha em uma caça para matar o homem que ela ama.

CIBELE: Eu não tenho o hábito de associar músicas a livros (embora faça isso com momentos), então não tenho muito o que opinar nesse top, mas.
Roubei essa da Lívia? Sim. Me envergonho? Não. Ela vai ligar? ~Talvez~. Mas a verdade é que essa música é perfeita para Dimitri eu sua fase “fora da lei”, se escondendo, sendo radical. Sou um caubói, num cavalo de aço cavalgo. Sou procurado vivo ou morto. Ai ai que fase, Rose.

 

Leia tudo »


   Em:

Escrito por

Li até a página 100 e… #27: O Presente do Meu Grande Amor, David Levithan e outros

Li até a página 100 e... por

Quem quiser pode postar isso como um meme (tag), é só clicar aqui para saber como participar. Não esquece de deixar o link ali nos comentários para eu te visitar :)


O Presente do Meu Grande Amor
Stephanie Perkins, Holly Black, Ally Carter, Matt de la Pena, Gayle Forman, Jenny Han, David Levithan, Kelly Link , Myra McEntire, Rainbow Rowell, Laini Taylor, Kiersten White

Primeira frase da página 100:
- Então você vai ficar com ele?

Do que se trata o livro?
São 12 histórias de romance no natal/ano novo contadas por 12 autores diferentes. Claro que aquele fim de ano americano, com neve e tradições diferentes das nossas, mas. As minhas favoritas até agora são a da Rainbow Rowell (ano novo) e do - claro, você sabia que eu ia falar isso - David Levithan (natal).

O que está achando até agora?
A realidade é que peguei esse livro pras leituras de natal. Li outros, vi séries, um mês passou e ainda não terminei. Mas até que de forma geral, estou gostando, a culpa é mesmo do conto da Myra McEntire onde empaquei. Eu poderia pular esse conto e ler os outros? Sim. Mas não quero fazer isso. Já não basta eu ter lido os contos dos autores preferidos na frente?

O que está achando da personagem principal?
Cada história tem protagonistas diferentes e a maioria é bem legal. Os que me lembro assim de cara são os do (risos caminhão de obviedades) Levithan, da Rainbow Rowell e da Stephenie Perkins.

Melhor quote até agora:

"Do lado de fora, pode estar frio. Mas eu estou aqui, Estou aqui, e ele está aqui, e tudo que preciso saber é que vou abraçá-lo e ele vai me abraçar até eu ficar quente de novo, até saber que estou onde deveria estar."

Frase do conto do (adivinha?) David Levithan.


Vai continuar lendo?
Sim! Espero que consiga terminar agora que passei o conto que me prendeu (mas a verdade é que eu terminei no começo da semana e não passei nem três páginas ainda. Vamos observar).

Última frase da página:
Tem medo de que eu conte ao Noel.




   Em:

Escrito por

0
comentário